quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Para 2016

Já tenho idade para não pedir grande coisa, nem para desejar o impossível. Desejo uma coisa: saúde. Saúde para mim e para todos as pessoas que me rodeiam. Quero chegar ao fim de 2016, olhar para o lado e ver os meus todos por cá, cheios de força e vitalidade.
Só peço mesmo isso; que o resta há de vir com esforço, vontade e trabalho.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

De 2015

2015 foi o ano em que corri 292 km (e sim, hei de chegar aos 300 km ainda este ano). Foi o ano em que vi que posso sempre ultrapassar os meus limites, que me viu fazer a minha primeira prova de 12 km e me inscrever para uma de 21 km. Foi o ano em que ensinei aos meus filhos que tudo se consegue, através da corrida também "e que não se desiste, não é mamã?". Foi o ano em que deixei de fumar, rumo a uma vida mais saudável. Em 2015, li apenas 9 livros e meio. Apenas 9 livros porque pareceu-me que houve sempre coisas mais importantes a fazer: correr à noite, ver séries com o pai cá de casa, ler blog's e, claro, as redes sociais, que ocuparam demasiado tempo em 2015. Foi um ano cheio em personagens de séries, com as do Breaking Bad a liderarem a preferência. Foi em 2015 que fizemos um seguro de saúde porque os 40 aproximam-se e mais vale prevenir que remediar. Em 2015, tive 15 dias maravilhosos de praia com as pessoas de sempre. Foram também dias de grande sofrimento para o meu corpo, com uma PT que me obrigou a dar muito de mim. Estou-lhe grata por isso. Foram dias que passaram demasiado rápidos, ao contrário dos outros anos. Em 2015, o meu Tiago foi para o 3º ano, para uma professora mais exigente (mas não menos competente do que a anterior). Tendo em conta que o 3º ano, dizem, é o mais complexo, vi, com uma certa surpresa e orgulho, o meu filho tornar-se um bom aluno e ter notas muito boas. Mas 2015 é também o ano em que lutei em vão para que ele soubesse a tabuada e... nada. 2015 foi o ano em que percebi que o meu Pedro gosta de trabalhos manuais, de desenhar e de aprender chinês. É também o ano em que percebo que está cada vez mais perspicaz mas também mais relegado para segundo plano. Em 2015, percebi que o irmão o abafa e que a família não lhe dá tanta atenção como ao irmão. Percebi que muita gente olhava para ele sem ver a maravilha que é. Se no início me custava ver isso, agora vejo que ficam todos a perder em não o VER verdadeiramente. Ele não se importa. Como sempre, prefere o mundo dele, onde nos deixa entrar, ao nosso mundo, onde nem sempre quer entrar.
Em 2015, numa tarde de sol, olhei para o meu marido, que tocava e cantava em conjunto com a prima, e o meu coração voltou a acelerar. Olhei para os seus olhos, sempre tão serenos e gentis, e voltei a cair na cantiga dele. Sim, em 2015, voltei a apaixonar-me pelo pai cá de casa.  
Em 2015, tornei-me numa pessoa que liga muitos aos gatos. A MJ diz que me tornei uma cat lady. Que seja. Foi, por isso, o ano em que o gato James entrou na nossa casa. Tornei-me também numa pessoa que liga cada vez mais à família: ao mano , sobrinha e cunhada, aos pais, aos sogros, mas também aos tios e primos e filhos de primos, etc. Percebi que estou bem quando estão mas sobretudo que fico inquieta quando alguma coisa fora de normal acontece com eles. Percebi o que é ser 100% fiel a um amigo com um episódio da Anatomia de Grey, quando a Meredith pergunta ao amigo dela "o X fez-te mal. Não quero saber o que é. Diz-me só: é para não gostar?". Um amigo é isso. Está ali, no matter what.
Mais uma vez, este ano não modificou a minha postura com o trabalho. Gosto do que faço mas não sei lidar com as pessoas que me rodeiam. Vivo demasiado as tricas de pessoas que nem sempre são corretas e muitas vezes envolvo-me em coisas que não devia. Continuo demasiadamente ingénua. 
Sinto que 2015 foi o início da minha maior radicalização quanto à comida. Em 2015, comecei a pensar em deixar também de comer peixe. Mas não passei da ideia. 
Coisas más? Houve. Claro que houve! Por exemplo, ando com cada vez mais dificuldade em falar corretamente, isto é, ando a trocar as palavras todas. Digo cozinha quando na verdade quero dizer sala OU digo sapatos quando quer dizer calças ou ainda anda quando quero dizer deita-te. Estou cada vez pior. No outro dia, até soltei um "caral**, que não consigo falar!", cheio de raiva. E sim, para mim, isso preocupa-me porque as pessoas nem sempre me percebem e porque noto que estou a piorar. A minha mãe é assim também. Diz alhos quando quer dizer bugalhos e ninguém consegue perceber inteiramente um diálogo com ela. O que vale é que fala pouco. Houve muitas coisas más mas, como disse uma amiga minha, foco-me nas coisas boas e esqueço-me das más. Em 2015, fiz isso também e as más estão meias esquecidas. 
Em 2015, lembrei-me sempre da minha Joana, com quem falo, por vezes: quando ponho base (porque numa casa de banho da escola, estivemos a pôr base mal e porcamente, com as mãos  como as pitas), quando compro umas botas ou quando visto o meu casaco vermelho. É das poucas pessoas da minha vida que partiu mas que continua cá estar. Ah! E sempre que vejo uma pulseira daquelas das mães de nossa senhora do bonfim (?), sorrio.
Por último, em 2015, escrevi, creio, o meu maior post. Este!    

Calendário do Advento 2015

Foi mais uma vez um sucesso! Os miúdos adoram. O pai cá de casa e eu também. 
Com o calendário, o Natal não se resume ao dia 24 e 25. A época torna-se especial e é bom vê-los acreditar piamente que o calendário é mágico porque a magia do Natal existe. Querem saber uma coisa? Existe mesmo! O Natal é mesmo uma época em que soltamos o que há de melhor em nós. É cliché mas é mesmo o que sinto.

Houve muitas atividades pensadas que não se concretizaram porque não, simplesmente. Ficam guardadas para o próximo ano. A atividade do dia 24 foi toda ela pensada e elaborada pelo pai cá de casa. Um peddy paper muito criativo que findou com uma filmagem do pai natal . A mensagem que ele deixou fez-me chorar até mais não,  pelo discurso cheio de amor do Pai Natal mas pela dedicação do pai cá de casa que fez uma montagem áudio e de imagem hiper profissional, em segredo, para nós. 

Para mais tarde recordar, aqui estão as 24 atividades 2015. 
[Encontram as atividades de 2014 aqui. As de 2013 estão espalhadas ao longo do mês de dezembro. Começam aqui.]
 
Dia 1:Montar a árvore de Natal
Dia 2:Acender uma vela e mantê-la acesa enquanto estamos em casa.
Dia 3: Ouvir músicas de Natal ao jantar
Dia 4:Dar um abraço às pessoas que gostamos.
Dia 5:Escrever um postal de Natal a um familiar (Para a amiga especial do Pedro, para o tio e para a Carolina, amiga especial da família)
Dia 6:Dia Livre
Dia 7: Ir ao cinema ver um filme em família!
Dia 8:Tirar uma foto em família numa máquina de fotos.
Dia 9:  Tirar fotos giras e tolas em frente à árvore de Natal.
Dia 10: Debaixo do colchão, encontrarás uma coisa que será desfrutada à noite. (Um livro que desapareceu nesse mesmo dia  por magia...)
Dia 11:Ajudar é importante: vamos doar comida a quem necessita.
Dia 12: Escrever a vermelho uma palavra importante e pendurá-la na árvore de Natal.
Dia 13: Fazer um piquenique em frente à árvore de Natal.
Dia 14:  Envia a um familiar um vídeo onde explicas por que razão gostas dele.(Nós os três enviámos um vídeo ao pai cá de casa e ele também nos enviou um. Enviaram também para o tio e o avô.)
Dia 15: Escrever um e-mail ao Pai Natal.
Dia 16: Jantar a luz de velas.
Dia 17: Dia livre
Dia 18: Cantar músicas de Natal ao pequeno almoço.
Dia 19:  Comer pizza na sala e ver um filme de Natal
Dia 20: Tirar uma selfie em frente a uma árvore de Natal iluminada que esteja na rua.
Dia 21: Diverte-te num carrossel! 
Dia 22: Escreve numas tiras de papel 10 razões por que gostas de um familiar. Vais guardá-las num frasco e oferecê-lo a essa pessoa.
Dia 23: Dormirem em família, numa cama gigante, na sala, perto da árvore de Natal.
Dia 24: Peddy papper e mensagem do pai natal.

Do Natal

Aleluia, o bolo rei e o arroz doce acabaram!

domingo, 27 de dezembro de 2015

Quando o Natal dura 4 dias

Foi sempre a comer e a beber, quase sem culpas.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 24

Fizemos um peddy paper que começou na nossa casa e que acabou no jardim da casa dos avós.
No último cache, encontraram uma pen com uma mensagem do pai natal,uma montagem maravilhosa feita pelo pai cá de casa.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Sobre o preconceito e Feliz Natal

Estamos parados em frente a casa dos meus pais, na Amadora.
O marido vai buscar umas coisas a casa deles. Eu fico no carro. Ele avisa-me " fecha o vidro e cuidado, estamos na Amadora." Reviro os olhos. Sempre vivi cá e nunca me aconteceu nada.
Ele sobe.
Um homem, com ar de viver na rua ou numa barraca, aproxima-se. Bate no vidro. O meu coração dispara e olho para todo o lado a tentar fechar o carro. Bate novamente no vidro, sorri, com um lindo sorriso sem dentes, e diz "Feliz Natal!", genuinamente. Tem um olhar louco mas sincero. Também eu lhe desejo um bom natal.
E emociono-me.
Feliz Natal para todos. Nesta quadra, que tenhamos todos presentes nas nossas cabeças que "o essencial e invisível aos olhos".

Do Pedro

O cão da minha amiga atirou-se a ele, para brincar (ou não?).
Ele já tinha um certo medo. Agora, definitivamente, prefere gatos.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 23

Dormirem em família, numa cama gigante, na sala, perto da árvore de Natal.

[Eles até deram pulos de alegria!]

Aviso à navegação (mais um)

Tornei-me oficialmente uma pessoa que fala de gatos, do que fazem e não fazem, e que vai postando fotos dos seus gatos no Instagram.

[Depois dos filhos e das corridas, os gatos! O que virá a seguir?]

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 22

Escreve numas tiras de papel 10 razões por que gostas de um familiar. Vais guardá-las num frasco e oferecê-lo a essa pessoa.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

domingo, 20 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 20

Tirar uma selfie em frente a uma árvore de Natal iluminada que esteja na rua.

sábado, 19 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 19

Comer pizza na sala e ver um filme de Natal*

* Vimos um clássico dos anos 80 que nada tem a ver com o Natal: Os Goonies.

(Nota:  rever filmes que nos marcaram muito na infância pode parecer fixe, mas não é. Perde-se o encanto. Cresci a acreditar que era um grande grande filme. E não é! )

Calendário do Advento - dia 18

Cantar músicas de Natal ao pequeno almoço.

[Música que nos levou ao rubro: Noite Branca dos Anjos!!!]

Calendário do Advento - dia 17

Dia livre

(Eles não gostaram do dia livre. Decidiram que o dia livre é dia de escolheram a atividade: fazer flocos de neve.)

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 16

Jantar a luz de velas.


 







[Atividade que se repete ano após ano porque eles adoram e é sempre um doa jantares mais calmos, serenos e tranquilos do ano.]

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 15

Escrever um e-mail ao Pai Natal.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 14

Envia a um familiar um vídeo onde explicas por que razão gostas dele.

[ No carro, fizemos os três um vídeo para enviar ao pai cá de casa. Retribuiu com outro "vídeo de amor". Foi bom.]

[ O Tiago escolheu novamente o tio e o Pedro escolheu o avô Tó. Ambos os vídeos tiveram direito a um " Feliz Natal"!]

Um filme que aquece por dentro

Uma das atividades do Advento  foi ir ao cinema. Assistimos a um dos melhores desenhos animados que vi até hoje: A Viagem de Arlo. É um filme de Natal à Disney, sem dúvida. Temos direito a tudo: morte, lutas internas, medo, procura(s), força e vontade. Entre lágrimas e sorrisos, vemos o dinossauro crescer e aprender a ser o que realmente é: grande por fora e por dentro. Um desenho animado com uma mensagem fantástica ("sim, conseguimos vencer os nossos medos e ser fortes"), com imagens/desenhos maravilhosos e cores brutais. É um filme forte em emoções. O meu Tiago chorou imenso no filme (e eu também) e no fim, agarrou-se a mim, ainda a soluçar, dizendo "nunca te quero perder". Sim, é um filme forte em emoções, tal como a vida é!
Vale tanto a pena que nem imaginam! 

domingo, 13 de dezembro de 2015

Livro que aquece por dentro

Comprei este e é muito ternurento. Quando o lemos, sentimos um calor bom cá dentro não só pela história mas também pelo sorriso que provoca nos miúdos.
Minutos de Leitura nunca falham!

Calendário do Advento - dia 13

Fazer um piquenique em frente à arvore de Natal.

Calendário do Advento - dia 12

Escrever a vermelho uma palavra importante e pendurá-la na árvore de Natal.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 11

Ajudar é importante: vamos doar comida a quem necessita.

[Como sempre nesta altura do ano, na escola, há uma recolha de alimentos para o bairro 6 de maio]

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 10

Debaixo do colchão, encontrarás uma coisa que será desfrutada à noite.


[E ao segundo colchão levantado, encontraram um livro novo.]

[Quiseram ler o livro em frente à árvore de natal.]

[Houve paragens na leitura para discutir alguns pontos do livro: num deles, dizia-se que a tradição manda deixar cenouras junto à árvore para alimentar as renas. Falha nossa: nunca deixámos nada. Eu contei-lhes que em miúda  deixava leite, bolachas e quadrados de açúcar (true -os tempos eram outros...) para o pai natal. O Pedro disse logo "podemos deixar fruta para ele não ficar muito gordo!! Tão meu filho...lol]

Da saga "Na primária"

Chegámos às 18h15. Ele agarrou-se logo aos TPC's. Duas fichas de EM, uma de matemática e pintar os bonecas da ficha de português.
Acabou agora. São 20h17.
O rapaz é naturalmente lento. Tem o seu próprio ritmo. Mas a esta hora, depois de um dia na escola, não será normal?
Tem 8 anos e já chorou porque hoje ainda não brincou.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Horta biológica

O mais novo trouxe couves da horta biológica da escola. Pensei logo em fazer migas com broa e alho (miam miam) mas o rapaz afeiçoou-se a elas e decidiu que eram para a noite de natal.

[E claro que já estão no tacho!]

Gaba-te cesta...

Uma das educadoras mais antigas da escola substitui durante dois meses a educadora do Pedro que esteve de baixa.
É uma mulher com muita experiência, creio ou quero crer, que lida com todas as salas, dos 3 aos 5 anos.
Hoje de manhã, do nada, chamou-me ao gabinete para me dizer que o Pedro é "brilhante", "uma mente muito criativa" cujos trabalhos livres desencadeavam os trabalhos coletivos. Disse-me que devíamos apostar na criatividade dele e deixá-lo crescer ainda mais.
Acabou ainda com um "no futuro, vai se lembrar da nossa conversa!".
Fiquei meio aparvalhada. Estou pouco acostumada aos elogios e não sei lidar com eles. Os elogios para os meus filhos também, pelos vistos.
Depois dessa conversa, fico a imaginar um futuro perfeito para ele, onde tudo lhe nasce das mãos (como ao pai, diga-se, mas em melhor* ainda). Mas também fico a pensar que não queria ouvir tais coisas porque de repente, a expetativa é alta e sabemos que isso é mau!

* Do filme "A Viagem de Arlo"

Calendário do Advento - dia 9

Tirar fotos giras e tolas em frente à árvore de Natal.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Calendário do advento - dia 8

Tirar uma foto em família numa máquina de fotos.

[ Eles nem sabiam o que era...]

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 7

Ir ao cinema ver um filme em família!

(Depois de ler o bilhete, houve uma rodinha e saltinhos enquanto gritávamos Ci-ne-ma!) 

Calendário do Advento - dia 6

Dia Livre 

Na verdade, esqueci-me de colocar um papel mas o Tiago arranjou logo uma explicação: "não temos atividade do advento porque ainda não mandámos os postais*"

* Com oito anos, ele ainda acredita que as atividades aparecem do nada e que o calendário do Lidl é mesmo mágico! 

Calendário do Advento - dia 5

Escrever um postal de Natal a um familiar.

[E porque a família é mais do que uma questão de sangue: eles quiseram escrever ao tio, à Madalena (o Pedro, claro) e a ti, claro!]


Calendário do Advento - dia 4

Dar um abraço às pessoas que gostamos.

[À noite, o Tiago disse que abraçou a professora dele de desenho, a professora do ano passado e a professora atual dele.O Pedro só abraçou a Madalena do seu coração!]

sábado, 5 de dezembro de 2015

Ter e Ser da terra

É cruzar a placa que diz o seu nome e ter um ligeira palpitação. É sair do carro com sorriso parvo na cara. É ficar feliz por ver a ti'X embora raramente se fala com ela. É ter pessoas que nos conhecem desde sempre e vice versa. É sentir que somos dali, que o nosso adn é dali e  pensar, claro, que queremos ser sepultados ali, no jazigo da família. É sentir que fazemos parte de algo. É acordar, ir de pijama para a eira, respirar fundo, ver a serra e pensar "foda-se qu'  é lindo" apesar de já termos a mesma vista desde sempre e ter feito a mesma coisa milhares de vezes. É ver os nossos filhos correr pelos mesmos sítios que nós e ficar feliz por seguirem os nossos passos. É deixá-los ir sozinhos, explorar e passear, uma manhã inteira. É ve-los feliz, com a liberdade que o pai e eu também tivemos. É pensar que é o melhor sítio para correr. É sentir que conseguimos ser mais serenos e que não há coincidências. É sair da terra e pensar que no próximo fim de semana regresso, apenas para me enganar e não custar tanto.

À saída da minha terra, escreveram: "Tão fácil chegar, tão difícil sair". Mesmo.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Sobre a ex-namorada do Pedro

Desabafos do meu mais novo:

"Já não namoro com a Catarina". 
"Vou casar com a Madalena".  
"Eu amo a Madalena".

Nada a fazer, ele ainda está na fase do Não há amor como o primeiro!

Calendário do advento - dia 3

Ouvir músicas de Natal ao jantar.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 2

Acender uma vela e mantê-la acessa enquanto estamos em casa.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Calendário do Advento - dia 1

Montar a árvore de Natal
(A excitação ao acordar é linda!)

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Ahahah [riso nervoso]

Acabei de me inscrever (tudo pago para que não haja desistência), paraduas provas: uma de17 km em Sintra e outra de 21 km em ziguezagues por Monsanto e Lisboa.
Estou doida! Ahahahah [riso nervoso again]

Dezembro está a chegar e a nossa tradição mantém-se: calendário do Advento

Amanhã começa o tão desejado calendário do Advento. Já tenho 27 atividades pensadas e escritas no meu ficheiro. 
A atividade é sempre escolhida na véspera, conforme a hora de chegada e o dia da semana. 

Adenda ao post anterior

A Carolina chegou à meta uns quantos minutos antes.
Quando faltavam 10/15 metros para chegar à meta, entrou novamente na prova e fez aquele pequeno trajeto comigo e juntas, cruzámos a meta. São pequenas coisas que nos fazem sentir especiais.
(Não comentei no momento porque a euforia e tal não levaram a isso, mas reparei Carolina.)

sábado, 28 de novembro de 2015

Da saga "Run Tella, run"

Parei 10 dias, como mandou o médico e ao 12° dia, fui fazer uma prova. Foi uma prova gira de 10 km e relativamente fácil.
Mas ao quilómetro 5, o joelho deu sinal. Começou a ficar pesado e duro, tenso, com uma sensação diferente. Abrandei mas claro, cheguei ao fim com um tempo normal para mim. (Menos de 1h07)
[Já tomei banho e não sinto dores.]

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Energias positivas

Não sei bem a razão mas hoje foi um dia cheio de luz, sorrisos e energias positivas.
Terá sido o sol quentinho, o céu azul, o black friday que calhou num momento em que entrou algum dinheiro extra na conta? Ou terá sido do pequeno almoço da manhã, com sorrisos e sem stress? Ou terá sido da primeira aula da manhã, que foi muito muito gira? Por ser simplesmente sexta-feira e todos sabemos que friday, i'm in love?
Ou então porque decidi definitivamente afastar-me de quem não me quer 100% bem? Será porque o Crato foi, com a graça do senhor, à vida com a sua cambada? Porque os exames do 4 °ano desapareceram?
Se calhar, foi graças a isso tudo, não sei. Mas hoje voltei a ser mais otimista.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Nova rotina

Depois das aulas, vamos dar comida a uma colónia de gatos abandonados.

(Para eles, agora,  é perfeitamente normal comprar a Cais no cruzamento do Campo Pequeno ao senhor de sempre aos fds, dar uma moeda ao senhor que está nos sinais, dar roupas quentes para os refugiados e levar comida a quem precise, sejam eles homens ou animais.)

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Sim, não, talvez

Aos 8 anos e alguns dias, o Tiago alerts o irmão:
"Sabes que o pai natal não existe? É o pai que dá as coisas!"

E eu fiquei muito zangada com ele. Muito mesmo, por querer acabar com a crença do Pedro. E muito mesmo porque é mais uma parte de meu menininho que se vai...
Falei depois com ele. "Quem és tu para dizer a alguém que aquilo em que acredita não existe, hein? Deixa as pessoas acreditarem no que quiserem!"
Ficou num impasse e perguntou novamente "mas ele não existe, pois não? ". Não soube o que dizer mas voltei com a mesma conversar de há uns tempos "Blá blá blá tu é que sabes se acreditas na magia do advento e do pai natal..."

(O Pedro nem percebeu bem e disse qualquer coisa como "não existe aqui, em Lisboa. Mas depois chega cá com as renas!", como quem diz daaah maninho, não percebes nada disso!!)

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Friday night

O Pedro foi lanchar e jantar à casa da ex-namorada!
Haja alguém em casa que aproveite a sexta-feira à noite!

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Eu

Aquela colega que já tem uma certa idade e pode, acha ela, dizer tudo a todos.
  "O seu bronze desapareceu, está mais magra, de facto, mas está com mau ar. Uma base ficava-lhe bem! Não pode andar assim!"
Ok, I get the message. Hoje, cá estou eu de base, de sombra brilhante, de rimel e de pó na cara. Olhei-me agora no espelho e pensei "se calhar, não havia necessidade dos brilhantes!" 
Too much, Tella Marie!

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Estado clínico

Fui fazer uma mamografia. Aproveitei para me queixar do gémeo e do joelho. Um médico de clínica geral viu-me, assustou-me com uma rutura de ligamentos e encaminhou-me para uma ecografia.
[Dilema meu naquele momento: depilação por fazer...]
Ecografia feita e veredito final: inflamação do tendão. Paragem obrigatória durante, pelo menos, 10 dias.
Pffff

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Aquele momento em que vestes o equipamento para correr, depois de ter parado 8 dias e ficas super animada e com um sorriso na cara, como quando usas uns sapatos de salto alto, aquele sentimento que eu descrevo como UPA UPA.
(Ao fim de dois km, o gémeo e o joelho direito deram sinal de vida pela negativa. Bolas!)

domingo, 15 de novembro de 2015

Novo herói

Acabámos de ver os 3 Indiana Jones, os clássicos. (E não este último que fazemos de conta que não existe.)
Só para terem ideia, o nosso objetivo até o Carnaval é encontrar um chapéu e um chicote.
Uma das frases mais ditas foi "O Indy é o maior"!

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Ter amigos fixes

...é uma colega ficar preocupada com o meu joelho e trazer-me no dia seguinte coisas naturais para o ajudar a ficar bom.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Estou lesionada

Na quarta, corri 11 km e notei qualquer coisa no gémeo e no joelho. Senti dores até sábado.
Fui correr no domingo 9km porque "ah e tal, no pain, no gain" e eu passei por bem pior na ilha. Estava a sentir -me bem
Foi uma má ideia, muito má ideia. O meu marido não se cala que tenho de andar com uma moleta. Acho que não é preciso mas dói-me imenso na parte de trás do joelho, que está inchado, e estou coxa como nunca estive.

Heidi: a não perder!

Depois de ter lido o post da Mary QA sobre a Heidi, quis ver. Foi durante uns tempos a nossa série a 4, depois do jantar e antes de os deitar. Vimos sempre juntos os episódios todos. Adorámos. 
Eles adoraram as montanhas, as aventuras, descobrir a liberdade que se tem nas montanhas e sobretudo as personagens. Viram as personagens que sendo boas, também têm atitudes más. É um desenho animado muito ingénuo mas muito real porque a Heidi, o avô, o Pedro, a Clarinha, a Fraulein Rootenmeier, a tia, etc, etc. são normais: têm momentos de felicidade, tristeza ou raiva...como nós. 

Eu nunca tinha visto a Heidi. Como tal, também eu chorei, de mão dada com o Pedro que estava que nem podia, com a partida da Heidi para Frankfurt. Fiquei nervosa com os encontros e desencontros aquando do reencontro do avô e da neta na estação do comboio. O meu Pedro até tapava o rosto de tão ansioso que estava. Chorei sozinha, no último episódio, quando vi o avô resolver os fantasmas do passado, que o assombravam e que não o deixavam ser plenamente feliz. 

Um dia após o último episódio, eles só perguntavam "E agora, vamos ver o quê?" 
Percebi-os perfeitamente. Tinha sentido a mesma coisa com o Breaking Bad. É um vazio grande quando as personagens das nossas séries nos deixam. 

O genérico era o momento de soltar a Heidi que havia em cada um deles: rodopiar, rodopiar no meio da sala e dos móveis, tal como a Heidi o faz...nos Alpes! 



domingo, 8 de novembro de 2015

Hello, I'm James!

Chegou somente hoje. Está assustado. A Fifi é péssima anfitriã. Só sabe bufar para ele, com o pêlo todo eriçado.
(Meto-me em cada uma...)

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Eu, agora

Estou parada no trânsito e só penso que devia estar a correr!

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Da primária

Amanhã, o rapaz tem teste de inglês. Estudámos no fim de semana. Ontem, dia de anos, não tocámos em nada. Hoje, tive reuniões e cheguei à casa às 20h30. O pai só os foi buscar às 19h00.
Tinha organizado os apontamentos, feito exercícios para que ele fosse para a biblioteca estudar sozinho. Como é pouco autónomo e quer sempre a minha presença no momento do estudo, pensei que não o fizesse ou que o fizesse de uma forma atabalhoada.
Pumba, tella, embrulha.
Esteve a estudar, sozinho, sem nenhum colega. E estudou bem. Sabia tudo. Sabe tudo.
Independentemente da nota, ele está de parabéns. Trabalhou muito e bem.

Do dia de anos

Acordei-o a cantar os parabéns mas ele calou-me porque queria dormir mais 5 minutos.
Fui buscá-lo, a ele ao mano, à hora de almoço. Estava super feliz porque os colegas foram para o refeitório e ele para um sítio giro e na moda! Regressou à escola super convencido!
Acabei por comprar um bolo e fui entregá-lo à escola para que os colegas e a professora lhe cantassem os parabéns. (Ele fez questão de levar uma fatia de bolo à professora dele do ano passado.)
Fiz um bolo enqueijado para o jantar e coloquei as velas no dito quando ainda estava quente. Resultado: parte das velas derreteram e mancharam o bolo...
Éramos só os quatro e para ser diferente, jantámos na sala.
Acabámos o dia a jogar Party & Company e foi muito muito divertido.

À noite, quando lhe perguntei do que tinha gostado mais, hesitou. Acabou por escolher uma coisa: "estarmos juntos os 4".

(Se a casa estivesse cheia de gente, não teria sido tão relax, giro e divertido e não lhe tínhamos dado tanta atenção.)

Olá! Sou a Tella e não fumo há muitos dias!

Acabei de ler este post da Mariah e lembrei-me que não o disse aqui: não fumo desde o dia 1 de agosto.
Se tenho vontade? Há momentos, e são momentos lixados, que sim. Mas para ser sincera, não custa assim tanto depois de ultrapassado O momento. Felizmente, cada vez tenho menos momentos. 
Estou muito focada na corrida e sei que se fumar, não vou conseguir correr o que já corri. Basta isso para me afastar da nicotina. O Tiago perguntou-me "tu não fumas graças a mim, não é?" Menti-lhe. Sei que deixei de fumar para poder correr. Sei que deixei de fumar por mim, graças a mim mas, ainda assim, para lhes mostrar que temos de ter uma vida saudável, livres de comida tóxica, processada, cheias de E's e claro, dos 4000 mil químicos que compõe um cigarro. 

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

8 anos

O meu Tiago faz hoje oito anos.
Está quase do meu tamanho, calça o 35/ 36 e já partilhamos as mesmas meias.
Dá-me abraços apertados, que chegam a magoar. Nele, há essa vontade de mostrar afeto, de nos agarrar como se fôssemos uma rocha, há uma urgência de abraçar e amar, há uma necessidade de saber que estamos aqui.
Com os seus 8 anos, ainda acredita no pai natal e que as atividade do calendário do advento aparecem de madrugada com a magia do natal. Não tem pressa de crescer.
Não pediu nada para o dia de anos. Não leva bolo para a escola, nem terá um jantar com a família. Já disse que não havia problema. Somos nós os 4 e é ótimo.
Com os seus 8 anos, é um menino igual a tantos outros mas por ser meu, é especial: é o filho do meu coração.

(E eu ainda me lembro do cheiro dele no momento em que nasceu.)

sábado, 31 de outubro de 2015

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

A nossa família está a crescer

Há uns anos, se alguém me dissesse que eu ia ter um gato, eu não acreditava.
Se alguém me dissesse que ia ter dois gatos, ahahah, começava a rir na cara deles.
Pois...
No fim de semana, há de chegar cá a casa mais um gato lindo: o James!

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Uma aberração no manual do meu filho

Uma das metas de aprendizagem é ler não sei quantas palavras num minuto. RI-DÍ-CU-LO!
(respeitar o ritmo de cada um, apreciar um texto e perceber o que se lê ...para quê?)

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Amanhã há teste de matemática

...e ele ainda não sabe a tabuada.
[Respira fundo Tella]

domingo, 25 de outubro de 2015

Não me consigo conter

Quando somos mães pela primeira vez, somos muito chatas. Todas as nossas conversas giram em torno do recém-nascido. Contamos a quem quer ouvir, e mesmo a quem não está interessado (temos pena!), tudo sobre a maternidade: as mamadas, os choros, as dormidas, as gracinhas, os cocos, tudo acaba em -inho...enfim, basta ver os posts iniciais deste blog para perceber. Mas eu sei que vocês sabem do que estou a falar.
E depois, com o tempo, as emoções acalmam-se, nasce o segundo filho, ficamos quase loucas mas as conversas nunca chegam ao nível do 1° recém-nascido. Somos mais contidas e já passámos por aquelas coisas todas. Agora até tenho pena das secas que dei às minhas amigas, sobretudo às que não têm filhos...
Eu, Tella Marie, ando a ficar chata outra vez!  Estou a passar pelo mesmo...mas com as corridas. Ai que seca, senhoras! Passo a vida a ver os meus históricos, as minhas médias, a falar aos colegas do trabalho do porquê, da comida antes e depois de correr. Já me ouvi dizer  "sei que estou a ficar chata.."  e pumba, continuei a falar da corrida da véspera. Faço esforços enormes para não partilhar tudo no meu FB, mas já não me controlo tanto no Insta. Leio tudo sobre o tema. O que se come antes, depois, os aquecimentos, as posições das mãos, etc, etc.
E não o faço numa de "ah e tal, olhem pra mim que corro", tipo exibicionista. Ando mesmo mesmo entusiasmada. É como quando pari pela primeira vez: estou maravilhada com as corridas e com aquilo que elas me provocam. (E não, não estou a comparar um filho ao exercício físico)
Dito isso, já me inscrevi para uma prova em novembro...e sempre com a minha parceira!

A minha primeira prova foi brutal

12km maravilhosos, penosos, desafiantes, sempre a subir, sempre a descer, a ultrapassar o que achava impossível.
À chegada, emocionei-me porque tinha os meus rapazes e o pai cá de casa na meta. O Tiago também estava emocionado. Dei um abraço forte à melhor parceira ever, aquela que me incentivou a correr no dia 1 de agosto, na ilha. Sem a minha amiga Carolina, sei que iria apenas correr para o sofá ou para a mesa, quando a fome apertasse.
Passei a meta com sorriso nos lábios e a  gritar dentro de mim um grande YES!
Absolutamente genial.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Run Tella, run (again)

Ontem, decorreu mais uma edição da maratona de Lisboa. Quando vi a chegada da Coco na Fralda, tive vontade de experimentar essa sensação de ir mais além, de conseguir superar a nossa natureza e o nosso corpo. deve ser maravilhoso.  
Ah, ó Tella, espera lá! Pois é verdade, estou quase a passar pelo mesmo (embora numa escala mais reduzida, claro). Fui desafiada por uma amiga e vamos fazer no próximo sábado a Urban Trail Sintra Night. [risos nervosos aqui deste lado]
Sim, sim. Para me iniciar nas provas de corrida, nada como escolher um percurso de 10 km, em Sintra, ou seja com subidas e descidas do demo e num clima de frio e vento, como só Sintra sabe ter. E estou nervosa pá! 
No sábado de manhã, fiz 9 km com chuva e muito vento, num piso relativamente plano e foi o que foi: lixado! 
Mas pronto, hei de fazer os 10 km a correr e se for preciso, a andar, que ainda não tenho pernas de aço! Acho que me vou divertir também e o meu objetivo é apenas um: chegar à meta e dar um abraço à Carolina!
[risos nervosos again]

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Hip hop

Quiseram experimentar uma aula de hip hop. Foram e...não gostaram.
Uma pena até porque eu achei o máximo! E a professora é super radical e alternativa e yo, com estilo e classe.
Já estava a ver os meus betinhosdocolegioprivado a fazerem hip hop e não, nada disso. Uma pena!

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Dia de cão

Depois de um dia de cão, daqueles mesmo maus, o Pedro parte a porta da máquina de lavar a roupa. F****-se!!

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Agora a sério

Pais e filhos não deviam andar nas mesmas redes sociais. Torna-se embaraçoso ver comentários às nossas fotos com coisas como "queridos filhinhos, estão tão fofos", "obrigada por me dar uma família tão bonita" ou "queridinho/a, bla bla bla". É  deveras constrangedor também perceber que fazem likes em coisas parvas, comentam o Correio da Manhã, os posts da Cristina não sei das quantas da tvi ou partilham fotos de pessoas pouco vestidas a falarem de futebol/benfica. Sim, isso existe! Uma coisa são os outros, outra coisa são os teus pais...
Um dos dois têm de sair. Como eu cheguei primeiro ao FB, acho que eles têm de bazar. Ponto. Enquanto não o fazem, tenho os códigos de acesso deles e sou que nem um lápis azul. Corto tudo e mais alguma coisa. Eles publicam e eu edito ou elimino.
Perguntava-me ele no outro dia: "e o instagram, o que é?" Evidentemente, assobiei para o lado...

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Coisas que também não entendo mesmo mesmo mesmo

As pessoas que estão nas ruas, atrás dos políticos, a agitar bandeiras e a gritar as siglas de um partido político qualquer [que se está inteiramente a borrifar para elas, digo eu].
A sério? Não há nada mesmo mais interessante e produtivo a fazer, hum? Pffff..

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Querem saber uma coisa?

Tinha como objetivo correr pelo menos 50 km no mês de setembro. Ultrapassei a minha meta e estou que nem posso de orgulhosa!
(Quando a conversa começar a aborrecer, digam!)

A não perder

Para mim, a melhor página do Facebook é esta: Humans of New York


terça-feira, 29 de setembro de 2015

Eu, pelo Pedro, tenho um ar fútil!

O Pedro escreveu e desenhou uma história de 10 páginas. No fim, tudo acaba bem porque encontram um tesouro e a mãe vai comprar vestidos (com o dinheiro do tesouro, lá está).

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Novos livros

Uma colega minha trouxe-me mais de 50 livros infantis, completamente novos. Os filhos dela cresceram e aqueles livros já não lhe dizem nada. Os Banana, a coleção do Bando dos 4, os livros do Álvaro Magalhães, muitos da Maria Rosa Colaço e outros, muitos outros, bons, interessantes e bem giros. Andámos todos deliciados com a nossa nova biblioteca. 
No dia em que os comecei a levar para casa (são tantos que não consigo levar tudo de uma vez), eu estava super eufórica. Senti que tinha ganho o euromilhões! 

Sobre o PA

Convenci, felizmente, o pai cá de casa a tomar pequeno-almoço. Sempre me sentei à mesa para comer com os meus filhos de manhã, mas o pai não o fazia. Ficava ali na cozinha , a beber café, em pé, à janela e a orientar coisas. Agora, estamos juntos, sentados, em família, a tomar nosso PA, como aos fins de semana. É uma excelente maneira de começar o dia. Conversamos, rimos (que o pai tem um sentido de humor fantástico logo pela manhã) e quando entro no carro, dou por mim a pensar que já não digo tantas vezes "rápido, rápido". 
Decidimos acordar mais cedo* para ter tudo pronto** quando acordam* (também eles agora mais cedo!). Vale bem a pena, garanto-vos! 

* Acordo às 7h00, eles às 7h30.
**Hoje, até tinham até um batido de leite, com iogurte, amoras e banana a acompanhar a torrada de mel e canela. 

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

O caderno da família

Há uns anos, no dia dos meus anos, a minha amiga J. ofereceu-me um caderno cor-de-rosa, com brilhantes. Disse-me,  com aquele sorriso irónico, que era para as minhas reuniões com a entidade patronal. Nunca foi, claro. [ Para as reuniões, uso um moleskine vermelho que dá um ar de seriedade!]
Guardei-o estes anos todos numa gaveta porque é um caderno especial, muito especial.
De repente, ao ler o blog Mum's the boss e o post sobre a gratidão, percebi que aquele caderno só podia ser usado como um registo dos nossos melhores momentos e/ou um registo do nosso agradecimento por qualquer coisa que consideramos importante. 
É atualizado pelo menos uma vez por semana e gosto.

Coisas que também não entendo mesmo

As pessoas que não percebem que um Homem é um Homem, independentemente da sua raça, religião, etc, etc...e que dizem as maiores barbaridades sobre o drama dos refugiados, que vomitam ódio, veneno e estupidez pelas redes sociais fora. Até fico indisposta e assustada com tudo isso [e por isso decidi cortar do meu FB qualquer pessoa, fosse quem fosse, que viesse com comentários racistas e parvos sobre o tema].
Não percebo mesmo o que se passa com a humanidade...

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Coisas que não entendo

Pessoas a celebrarem a chegada do outono.
A sério? Ficam felizes com a chegada do vento, da chuva, dos dias menores e do frio?
A SÉRIO?
Pfffff

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Do correr

Sem tempo para correr durante o dia, resolvi que ia correr ao início da noite. Depois de um dia de trabalho na escola e de um dia de trabalho em casa (e hoje, foi fazer uma máquina de roupa, passar a ferro, orientar os tpc  [que nervos, by the way], fazer o jantar e arrumar a cozinha), vou correr. Custa horrores sair do sofá mas ha várias pessoas que sigo no Instagram que são uma inspiração. Mostram que tudo é possível. Vejo mulheres que vão correr depois das 23h, outra que tem 4 filhos e um cão e que corre mais de 100 km por mês ou ainda uma que vai correr entre duas mamadas. Se elas vão e conseguem, eu também vou e consigo.
Já sonho com mini maratonas de 10 km. Quero ver se consigo, até onde posso ir e acreditar que posso ir mais além. Quero crer que se consigo correr, consigo tudo e que nada, nomeadamente as chatices do trabalho, me afeta.
E eu, Tella Maria, senhora dona da insegurança e do pensamento "não faço nada de jeito",  pela primeira vez, ouso pensar e escrever no blog " sinto-me grande".

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Constatações

Fomos passar o fim de semana à terra. Foi bom, como sempre.
Reparo, agora, que umas das coisas que mais aprecio é ir ao jardim da tia, do tio ou do vizinho que morreu há anos e que tem quase tudo ao abandono e apanhar maçãs, figos, alho francês, abóboras, etc. Ou acordar de manhã cedo para ir apanhar amoras. Aproveitar aquilo que a terra nos dá e sentir prazer nisso. 
Só posso  estar muito crescida, não?

sábado, 19 de setembro de 2015

As férias pelo Tiago...

... Ou a composição do mais cliché possível...

terça-feira, 15 de setembro de 2015

TPC

Depois de dois anos sem TPC's, a nova professora do Tiago já avisou que ia enviar sempre trabalho de casa às terças, quintas e sextas.
Só espero que sejam moderados ou teremos graves crises cá por casa.

sábado, 12 de setembro de 2015

Aquele momento em que te sentes a maior...

É quando acordas ao sábado às 7h30 para correr e te sentes super feliz por ter corrido.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

A minha avó do coração faz hoje 90 anos

São 90 anos:  3 filhos, 4 netos, 5 bisnetos e mais 1 a caminho.

Aos 90 anos, avisei-a que estava proibida de ficar velha. Ela riu-se e disse-me "ai tu, ai tu!". A minha avó é uma das mulheres da minha vida e talvez a única mulher da minha vida, não sei! Uma mulher que nunca foi à escola, que não sabe ler nem escrever, mas que é muito sábia. 

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Tu sabes que algo está a mudar em ti quando..

... te deitas e ficas a pensar no percurso a fazer no dia seguinte para correr e sobretudo quando vais a um centro comercial e só tens olhos para roupa desportiva. Passas pelas Zaras do Colombo e nem olhas para as montras. Queres apenas uns ténis a sério e roupa gira a condizer.
(Segunda,volto lá!)

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Run Tella, run!

Comecei a correr no Algarve, no dia 1. Foi difícil como o raio. A Carolina esteve sempre a puxar por mim. Corri talvez 800 metros e parei, quase a morrer. Andei e voltei a correr uns quantos metros. Sei que quando ela saiu do Algarve, já corria mais mas ainda andava, embora pouco.
Nunca ativei o Runtastic no Algarve mas devo ter corrido 8 km no total. Não sei.
Fui para a terra e já com a apps, continuei a correr. Não foi uma coisa diária mas foi sempre com vontade.
Logo no primeiro dia, fiz 5 km. As subidas e descidas da aldeia situada perto da serra deram cabo das minhas pernas. Mas corri sempre, com aquela sensação "eu consigo".
Ontem, a aplicação disse-me que tinha corrido, em 15 dias, 24 km. Ui, nem imaginam a sensação de "uau tella!". Depois vi o instagram da Pipoca Mais Doce com os seus 220 km percorridos durante o mês de agosto e toda a minha euforia foi por água abaixo e pensei "menos Tella, menos".

Da segunda parte das férias - segundo post

Houve frio e chuva mas houve muito calor também e mergulhos nas águas frias dos rios.
Houve corridas. Mas houve também muitas imperiais e caipirinhas com  muito pouco açúcar  (peurk).
Houve encontros com a família e momentos bons com a minha sobrinha.
Houve até uma grande vontade (minha e do Tiago) de ter um bebé. Até verbalizei com uma certa mágoa ao pai cá de casa "Toda a gente tem um bebé menos eu." Sim, estava sóbria.
Houve festa na aldeia e a certeza que o meu mais velho está com o bicho da terra, como nós. Sente que pertence à terra e quer fazer qualquer coisa pela terra. Foi servir imperiais e água para o bar. Orgulhoso que ele estava !
Foram sozinhos novamente às compras sozinhos e como queriam comprar sumo, pediram ao senhor da mercearia o seu telemóvel para ligar para o pai. O senhor emprestou-lhes. Andam tão espertos senhores...
Houve aventura pela serra à procura de poços de água. 
Houve geocaching e caches bem giros.
Houve percursos de bicicletas pela serra, sempre a subir e depois, claro, sempre a descer, com uma mãe aos gritos "Trava Tiago, trava!".
Não li nada, a não ser a revista do Expresso e a Woman. :)
Quando saímos de lá, o Pedro emocionou-se e pediu para vivermos lá para sempre. Eu também. 

domingo, 16 de agosto de 2015

Da segunda parte das férias

Estou na terra. Stop. Está frio. Stop. Vesti um polar. Stop. Calcei umas meias. Stop. Hoje, dia 16 de agosto.

#querovoltarparaoquentinhodoalgarve

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

O último dia no Algarve

Fiz exercício todos os dias. TODOS. Dos 15 dias que cá estive, corri 7 ou 8. Não corri mais porque me lesionei no pé. A Carolina foi a chave do sucesso! (Mas foi doloroso! )
Só fumei um ou dois cigarros no dia da chegada. Não fumo desde então e nem me apetece fumar.
Tenho comido muito bem, com regra e sem excessos.
Temos tido dias de praia maravilhosos.
Não tenho stressado nem um segundo com a ausência de horários (estou cada vez menos rígida!). Somos dos últimos a sair da praia, muito depois do maravilhoso pôr-do-sol.
Bebemos (Carolina et moi) o nosso primeiro gin e levámos amendoins e bolachas de água e sal para não regressar a casa de gatas!
Bebi também a minha primeira pinacolada e não fiquei fã.
Voltei a perder um filho na praia (desta vez o mais novo) e voltou-se a acionar cenas para o encontrar, sendo que as pessoas da praia foram extraordinariamente solidárias e mais de 20 pessoas foram também pelas dunas aos gritos, à procura do meu Pedro, que resolveu ir para casa sozinho, sem avisar ninguém. Voltou a ser angustiante e assustador. Muito.
A nossa rotina a 5 é maravilhosa, tanto que o Tiago disse que estar na ilha sem a Carolina, depois da sua partida, era estranho. E foi mesmo.

E tanta coisa mais...mas basta dizer que estes dias foram talvez os melhores.

Livros de agosto (até agora, claro)

A Casa dos Espíritos: muito bom.
De Amor e de Sombra: lê-se mas...

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Aviso à navegação

Estamos de férias no sítio de sempre há uns dias. Depois, vamos para o outro sítio de sempre até ao final do mês.
Maravilha.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Livro do mês - 2

Lembro-me que a Isabel Allende esteve muito na moda há talvez uns 10 -15 anos. Quase toda a gente tinha lido A Casa dos Espíritos ou Eva Luna. Sem saber nada acerca da escritora ou dos seus romances, pensava que ela não era para mim. Armada em totó, achava os best sellers uma coisa a evitar.
Na semana passada, uma colega ofereceu-me O Plano Infinito. Torci o nariz mas li e em boa hora o li. Gostei muito, mas mesmo muito.
Gostei tanto que levo dois livros dela para as férias!

terça-feira, 21 de julho de 2015

domingo, 19 de julho de 2015

Sueca

O avô cumpriu a tradição e já os ensinou a jogar!

quarta-feira, 15 de julho de 2015

O poder dos sapatos

É impressionante como um par de sapatos nos deixam upa upa para cima!
É isso.

sábado, 11 de julho de 2015

O pai cá de casa faz anos

E o Tiago escreveu-lhe uma música. Nem sempre percebi o que disse, mas retive "quero ficar contigo para sempre e dançar contigo ao pôr do sol".
E acabaram com um mergulho na piscina.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Coisas minhas

Putos nos avós, marido a trabalhar fora durante uns dias e pensas " Yeaaah! Vou ter sossego e tempo só pra mim!".
Tive dias cheios de emoções fortes e quando cheguei à casa, não havia ninguém com quem as partilhar, havia demasiado silêncio. E toda a expetativa relativamente a estes dias sem ninguém foi por água abaixo.
Não sei viver sozinha.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Eu, ainda

Lembrei-me de reler um post de 2012, um que foi uma  autêntica catarse. (Acho que nunca mais o reli desde então).
Quando leio o que escrevi, percebo que estava tão mas tão perdida, tão sem chão e sem teto que o meu coração começou a bater com mais força.  Ate doeu.
Tudo muito sem nexo, onde misturei sonho e realidade. Uma pessoa quase louca... Venho de um poço fundo.  Mas só agora tomei consciência de quão fundo estive de me perder.

Não me ocorre nenhum título para este post

Tenho vários defeitos terríveis. Um deles é querer resolver os problemas dos outros, sabendo que a resolução desses problemas não passa por mim e tendo consciência que raramente resolvo os meus próprios problemas.
Sofro tanto com isso. Com uma coisa e outra. Mas neste momento, os problemas dos outros andam a preocupar-me muito. Que maçada! 

Das férias deles

Ontem, em conversa via Skype com os miúdos que estão de férias com os avós, dizia-me o Tiago, a propósito do dia que teve,  "A minha vida tem muita sorte"! 

Eu fico feliz de os ver felizes,a atropelarem-se um ao outro ao querem contar o que fizeram, quantos mergulhos deram, quantas alfaces apanharam, os desenhos animados que vêem, etc, etc. 
Fico feliz de terem efetivamente férias grandes! 

terça-feira, 30 de junho de 2015

domingo, 28 de junho de 2015

Vão por mim

"Mad Max, não sei quê furiosa": não vejam.

Muito mau. A sério. 

Sobre as festas da escola

Há muito a dizer sobre o tema mas fica o mais importante:
Quando o Pedro entrou em cena, o Tiago emocionou-se e chorou. O pai e eu também ficámos emocionados.

Quem sai aos seus...

sábado, 27 de junho de 2015

Friday night!

Fomos sair os quatro. Fomos...ao japonês, coisa que dispenso bastante, mas fui porque eles gostam muito.
O restaurante era uma barulheira infernal, que me causou dores de cabeça.
Saímos do restaurante e os dois, em uníssono,  começaram a tossir e a vomitar.
Como a tosse já durava há quase 3 semanas e cada vez mais forte, e agora com direito a vómitos,  resolvi ir às urgências...até tarde, muito tarde.

Já tive sextas-feiras à noite mais divertidas.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Livro do mês

Para saber lidar com as emoções dos nossos filhos (e também com as nossas ).
Para refletir sobre as nossas emoções e as dos nossos filhos.
Gostei muito.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Livro do mês (que é e não é )

Li apenas 32% do livro (e com muito sacrifício ). Não consigo avançar mais. Vai ficar na estante. Pode ser que um dia o leia todo.

Coisa mais linda da tia

<3

terça-feira, 16 de junho de 2015

Post que mais parece aqueles publicidades da Dove* que têm como objetivo levantar a auto-estima das mulheres

- Mãe, aquela ali é a mãe do Martim!
- Não.  A mãe do Martim é super gira e aquela senhora não é assim tão gira.
- A mãe do Martim é mais gira do que tu?
- É pois! **
- Não acho. Tu és linda. És a mais gira de todas. A sério mãe,  és mesmo.

(*Ou será Nivea?)

(** e tem sapatos, malas da LV ou Chanel e cabelo sempre arranjado, que upa upa!!)

domingo, 14 de junho de 2015

BB

Acabámos o Breaking Bad. Já sinto um vazio grande cá dentro. Simplesmente brutal.
A melhor série de sempre.

sábado, 13 de junho de 2015

Depois de uma noite maravilhosa a festejar o Santo António, tenho de dizer que...

...detesto deitar - me tarde e acordar cedo, tendo os filhos a dormir fora. Até me esforço para dormir outra vez mas não dá. Não durmo mais e sei que me vou arrastando pelo dia...

Agora, estou completamente ko, com os filhos já em casa, claro, que já me disseram 50 mil vezes  "Mamã,  brinca connosco". Só sei que hoje, o hastag que se impõe é #mãesofre.

Tudo isso é da idade?

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Deles

No sábado, estivemos a pintar algumas divisões da casa, inclusivamente o nosso quarto.
A nossa cama desmontada ficou guardada no quarto deles.
Eles acharam que era giro fazer um cabana com o colchão e o estrado. Infelizmente, este caiu e antes que acertasse no Pedro, o Tiago colocou uma parte do corpo por cima do irmão para o proteger. Partiu a cabeça e levou depois com 3 pontos.
Estava a tentar pensar no que fazer, com tanto sangue por  todo o lado e com gritos assustados do meu rapaz "não quero morrer, não quero morrer", e de repente ,deixa-se de dramas por segundos e diz "mas que estupidez....porque é que eu meti ali a cabeça [e eu pensei que ele completasse a frase com "para salvar o mano" mas ele continua com] ...devia ter posto as mãos. Que estupidez!"
E vieram-me as lágrimas aos olhos...Meu pequeno herói!

[o pai tinha saído por instantes.]
O Pedro, que andava nu pela casa (don't ask), vendo a minha aflição, enrolou-se numa toalha de mãos e foi pedir ajuda aos vizinhos (e amigos) de baixo.
Sinceramente, acho que se aquilo acertasse no Pedro, tinha feito muito mais estragos.

Aquele momento em que descobres que a opinião dos teus filhos interfere muito nas tuas escolhas

- Mamã , não gosto nada das calças. Parece um pijama.
- Sim, são feias. A camisola é gira mas falta um colar.

Voltaram para o roupeiro.

terça-feira, 2 de junho de 2015

Andamos todos demasiados zangados

Recebo e-mails, no trabalho, que são verdadeiras ameaças, coisas que depois de lidas mereciam uma resposta digna de um "badamerda".
Recebo e-mails, no trabalho, de pessoas que atacam ferozmente colegas meus. Leio coisas que dão vontade de responder  "badamerda".
Recebo telefonemas, no trabalho, de pessoas que são verdadeiramente arrogantes e que descarregam na pessoa que está do outro lado.
As pessoas ofendem-se através do FB, do fórum A ou B, dos comentários às notícias, etc.
As pessoas não respeitam a opinião de quem quer defender caracóis. Usam a humilhação para rebaixar as pessoas em vez de usar a palavra para contra-argumentar. Uma coisa é discordar, outra é humilhar para mostrar que é dono da verdade.
Há pessoas que se indignaram contra aquelas imagens terríveis de bulling e que diziam coisas como "era partir-lhe a boca toda". Exato...
As pessoas acham que podem dizer tudo ao outro ou mesmo fazer tudo, esquecendo-se que o outro também está zangado.
Foi o que me aconteceu, há semanas, quando um senhor resolveu dizer, à saída do Lidl, a uma mulher (eu) com os seus filhos e carregada que nem uma mula "a mãe é que é má mãe porque está a frente deles e devia estar atrás deles". Teve azar. Até sou muito calma e reservada mas aquilo dito assim, de um homem que não conheço de lá nenhum, despertou o monstro zangado pseudo-adormecido. E todo o azedume que também eu carrego foi descarregado ali. Ele assustou-se comigo, pôs o rabinho entre as pernas e foi-se, pensando "esta gente está toda zangada, credo!"

E estamos, senhores, estamos.

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Eu, agora

A contar até 100 para não perder a cabeça com o drama do meu drama queen do coração! 
Ó céus! 

domingo, 31 de maio de 2015

Ginasticando (ou não )

Há dias em que penso que tenho de fazer exercício físico. Então, vou pesquisar na net planos para fazer em casa. Opto sempre por títulos sugestivos, como por exemplo "5 minutos por dia e fica sem barriga".
Encontrei um desses e quis logo logo pôr em prática.  Estava eu a saltar na cozinha, a elevar as pernas ou a fazer outra coisa qualquer, enquanto descascava legumes para a sopa ou temperava a salada, já não sei, quando o meu mais velho entra na cozinha, olha para mim e com aquele ar entre o ingénuo e o pré pré teen me diz "a sério mamã,  não leves a mal mas estás ridícula a fazer exercício assim".
E é isso.

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Há um filósofo em todos nós

"...porque o sentido da vida é aprender..." - Tiago



quinta-feira, 28 de maio de 2015

Tiago, agora

Apanhei-o à saída do exame e perguntei-lhe como tinha corrido. 
- Facílimo!

 

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Amanhã é dia de...

Amanhã, o meu filho mais velho faz o exame intermédio de português. 
A professora dele não concorda com os ditos exames. Não lhes deu importância nenhuma. Não trabalha para eles e, como o referiu, não têm valor nenhum. Há umas semanas, não sabia ainda a data dos ditos cujos. Não fez nenhum na sala com eles. Diz que tem de trabalhar com eles e não treiná -los para os exames, pelo menos, no segundo ano. 
Concordei de imediato com ela. 
Fui falando com algumas mães que se mostraram muito preocupadas com os exames, que já tinham feitos muitos livros de exercícios. Voltei a falar com a professora sobre o assunto. Continuou a dizer que tínhamos de dizer às crianças que tinham de dar o seu melhor mas não se devia criar ansiedade nem fazer disso um drama. Concordei mais uma vez com ela.
Voltei a falar com uma ou duas mães que continuavam ansiosas e preocupadas. Quando lhes disse que não devíamos stressar muito, uma delas respondeu-me "mas a nota vai estar afixada e ninguém gosta de ver uma má nota afixada." 
Fiquei a pensar naquilo. 
Hoje fiz o exame do ano anterior com ele. Teve 75%. Lembrei-me das palavras do blog da mia, qualquer coisa como "não devemos competir com as notas dos nossos filhos" e não estudei mais com ele. Fomos jogar ao Uno.   

sábado, 23 de maio de 2015

Evolução

A minha prima está grávida. Às 36 semanas,o médico decide provocar-lhe o parto porque o bebé está demasiado grande e ela também, diga-se.
Está tudo marcada. Hora do internamento, doses de comprimidos tomados para ter um parto normal, etc. etc. Tudo planeado.
Então,a minha prima decide criar um grupo no Whatsapp  chamado "nascimento do Gustavo!".
E seguimos um parto quase em direto, com as primeiras contracoes, as informações do médico, a ida para a cesariana depois do colo do útero continuar fechado , o "está quase" à foto da praxe.
A informação era dada pela prima, que esteve sempre bem, e o pai.
Maravilhosa tecnologia (ou não, não sei). Mas achei fantástico estar lá, não estando.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Desfralde noturno do meu mais novo

Já não há fraldas cá em casa. Ufff... Estava a ver que nunca mais!

(Comprámos fraldas durante 7 anos e meio. Bolas!)

Aquele momento em que alguém de quem gosto muito perde pontos...

Custa sempre tanto!

(Conto rápido: na próxima semana, alguns poemas do novo livro de Manuel Alegre vão ser lidos por uma pessoa, que na minha opinião, vale pouco.
Não havia necessidade.)

segunda-feira, 18 de maio de 2015

A minha terapia de domingo de manhã

Perdi a cabeça com um deles. Fiquei muito nervosa e desapontada comigo.
...
Fui comprar uns sapatos para tentar acalmar. A J. dizia que era terapêutico!
Fica a dica!!


sábado, 16 de maio de 2015

Aquele momento em que pensas "se não tivesse os miúdos, ia dançar a noite toda..."

 E 10 minutos depois, estás a dormir completamemte ferrada no sofá!

(As sextas são tramadas!)

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Parabéns!

Faço hoje 37 anos! (que dor, detesto número ímpares.)

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Sobre a expulsão do meu filho da sala de aula

Não estou danada com a professora. Se o fez, alguma razão tinha. E tinha. Gosto muito da professora dele. Acho-a sensata. Quando um professor põe um aluno na rua (seja com que idade), tem quase sempre razão. Adverte uma, duas, três vezes e depois passa-se. Como qualquer mãe!

Ele estava num brando que só visto. Não o castiguei porque a professora já o tinha feito. 
Expliquei-lhe o que tinha de ter feito, como devia ter agido. Acho que foi positivo. 

Passo a explicar: 
Sexta-feira, 16h00, uma colega faz anos e leva bolo para a sala. Enquanto se preparam as coisas, há um (grande) amigo dele (que se porta menos bem nas aulas) que está virado para trás e que começa a dizer parvoíces. O meu e um outro colega acham graça e desatam a rir. A professora avisa que não quer esse com comportamento. O outro continua (como sempre) as suas parvoíces. Sai da aula. Os dois outros (no qual o meu se inclui)  retomam as parvoíces do primeiro. Saíram também. 

Ah e tal, iam comer bolo, não estavam num contexto de aula e não sei quê... Verdade!  Por isso vieram para fora para refletirem e acalmarem. Resultou. 
Percebeu que o seu comportamento desadequado fez com que não cantasse os parabéns à colega, percebeu que o o outro o prejudicou, que não pode ser uma Maria vai com todas e que as regras, numa sala de aula, são para se cumprirem. Sempre. 

Fiquei em choque porque é meu filho e ele veio para a rua. 

sábado, 9 de maio de 2015

Ainda estou em choque

O Tiago veio para a rua. Sim, sim, isso mesmo. Foi expulso da aula.
7 anos - 2° ano.
(Uma coisa que achava impossível nessas idades e no meu filho).

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Livro de maio


(Lê-se rapidamente mas não traz nada de novo...)

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Breaking Bad

Só agora descobrimos esta série e a pergunta que se impõe é "ó tella, e só agora é que descobriste uma das melhores séries de sempre?"

domingo, 3 de maio de 2015

Do Pedro

"Amo-te, amo-te, amo-te, amo-te até ao céu de todos os planetas e até de Plutão que já não existe!"

Geocaching - parte II

Voltámos lá depois da chuva e encontrámos o "cache".
Houve uma certa excitação!

Geocaching: uma aventura

Entusiasmei-me com as fotos no FB de uma colega.Li sobre o assunto, registei -me, saquei a aplicação e lá fomos nós os 4, super entusiasmados.
De telemóveis em mão, seguimos as indicações, lemos as pistas, procurámos o nosso primeiro "caches".
Procurámos e procurámos. Não encontrámos nada, começou a chover e voltámos para casa!

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Pensamentos

Sempre que estou com a minha sobrinha (linda,linda), apetece-me ter mais um filho (na verdade, queria uma filha).
E depois os meus rapazes gritam, fazem disparates, tiram-me do sério e a ideia de ter mais um filho morre imediatamente.
Os filhos com o diabo no corpo conseguem ser melhor que a pílula ou o preservativo!

Sabes que o tempo não pára quando...

...o teu filho mais velho diz , maravilhado, "já tenho pé" ao dar o primeiro mergulho do ano na piscina dos avós.

terça-feira, 28 de abril de 2015

Mais um livro do mês

Este era para ser o livro de maio, mas é tão bom que se lê em 3/4 dias e ficou no mês de abril.
Tive vontade de transcrever aqui grande parte do que li. Frases e verdades tão simples que nos fazem soltar "uaus" sucessivos. E há o Alentejo, uma neta, uma avó e um rol de personagens muito bem construídas.
Descobri um grande autor e um bom livro.

(Informação importante:  livro disponível gratuitamente no site elivros.)