terça-feira, 29 de novembro de 2016

domingo, 27 de novembro de 2016

Aquele momento estranho ou cómico ou...

... em que uma colega te dá um saco com uma embalagem de tinta para pintar o cabelo dizendo "tinha lá em casa e pensei que pudesses precisar."!
Ahahaha
Mensagem recebida e .. apagada!

(Aliás,esqueci-me do dito saco numa sala de aula e quando me lembrei, tipo na aula seguinte com aquela turma, já tinha desaparecido!)

O primeiro bilhete escrito do Pedro

A primeira SMS com (muito) sentido do Pedro

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

domingo, 20 de novembro de 2016

Puzzles

Já acabámos o nosso primeiro puzzle de 1000 peças, feito em família, ao serão.

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Coisas da vida

Estão a ver o caixa de óculos, o cromo que não joga nada e o gordo que ficam sempre pro fim quando os miúdos fazem equipa para jogar futebol?
Sim?
Pois bem, um deles é o meu filho!

É isso.

domingo, 13 de novembro de 2016

Run Tella, run!

Voltamos às provas. Hoje de manhã corremos 15km num trail em Mafra, na Tapada, mais precisamente.
Foi uma boa prova com subidas qb mas com descidas muito técnicas, no meio de um manto de folhas castanhas e de lama. O outono deu-lhe um toque ainda mais especial.
Durante 15km, estive sempre bem, a saborear o desafio, a ouvir a minha respiração e o som dos pássaros e a trocar sorrisos com algumas pessoas. Os trails fomentam uma certa cumplicidade entre os atletas e isso hoje agradou-me muito.
Tínhamos estipulado fazer a prova em menos de duas horas e fizemos, salvo erro, 1h49 porque nos perdemos. Se não fosse o pequeno desvio, tínhamos chegado, creio, antes de 1h45.

Olhando para as pessoas, na linha da partida, ainda pensei que fosse a última a chegar e mais uma vez, isso não aconteceu! Cruzámos a meta juntas e muito satisfeitas com tudo. Foi mesmo bom.

Mais uma vez, tive direito a uma mensagem do pai cá de casa que me sabe sempre bem.

Mais uma vez, sinto-me a maior! :)

sábado, 5 de novembro de 2016

Quando é que sabes que estás a ficar com uma certa idade?

Quando vais a um magusto na casa do Concelho da tua terra, com os teus filhos a acharem que é uma seca e tu a delirares por estares no meio das tuas raízes com amigos, familiares, conhecidos e pessoas da terra.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Dos anos dele (ainda)

Foi um dia que o deixou bastante emocionado por três ocasiões.

1) O mano, o pai cá de casa e eu acordámos o aniversariante a cantar-lhe os parabéns. (Apesar das vozes desafinadas de todas àquela hora!). O abraço dado foi dos céus!

2) Na escola, quando abriu a lancheira, e viu os nossos bilhetes. Preferiu o do pai mas adorou os dois. "Fiquei de lágrimas nos olhos".

3) Quando lhe li o texto que escrevi sobre ele, no blog. (Omiti apenas a cena de não saber jogar à bola!). No fim, disse-me "obrigado", abraçou-me com força e com a fazer força para mão deixar cair as lágrimas.

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

O Tiago faz 9 anos

O meu Tiago é especial por variadíssimas razões, mas sobretudo porque foi ele que me tornou mãe. Com ele aprendi o que é o Amor na sua forma mais pura, animalesca e avassaladora. Com ele aprendi também que nunca se diz nunca no que diz respeito à maternidade e que apesar de pensarmos que não vamos conseguir, a verdade é que conseguimos.
Conseguir o quê?
Conseguimos ter um filho que está agora numa coisa à qual chamarei pré pré teen e que não vem à primeira, nem à segunda mas, vá lá, com muita sorte, vem à terceira; que fica amuado se repreendido; que dá por vezes respostas tortas; que embirra com o irmão apesar de o adorar; que é teimoso; que já fica no quarto a ouvir música nos phones e que pensa que já sabe muita coisa (e até sabe na verdade).
Conseguimos também ter um filho com um coração de ouro, que dá muito valor à família e aos amigos; que nos ama a todos incondicionalmente, que se emociona com filmes, que dá abraços tão apertados do nada porque sim; que é muito meigo; que faz conchinha comigo e que me diz "amo-te tanto mamã"; que fica com a cabeça encostada ao meu peito quando lhe leio uma história e que diz sempre "adoro -te" nesse momento, numa demonstração de felicidade; que encosta, às refeições, o rosto ao braço do pai cá de casa, numa clara manifestação de ternura.
Conseguimos ter um rapaz destemido e aventureiro, que trepa às árvores, sobe rochedos e colinas e salta fogueiras; um rapaz trabalhador que poda a videira, apanha frutos das árvores ou corta a relva; um rapaz que argumenta, discute e tem uma opinião; um rapaz curioso e cusco que quer inteirar-se sempre das nossas conversas.
Conseguimos também ter um rapaz que se apaixonou de vez pelo futebol e pelo Benfica, mas que joga mal à bola; um rapaz trapalhão, que cai, tropeça e bate com a cabeça no canto da mesa se necessário; um rapaz desorganizado que para se organizar precisa de dias; um rapaz que não sabe fazer resumos, que para contar uma coisa simples, faz 50 mil rodeios; um rapaz que sem saber tem as mesmas tendências políticas dos pais e que diz "25 de abril sempre" sem perceber bem o que é mas sabendo que é muito; um rapaz que acha uma seca estudar, que dá 30 mil erros ortográficos em cada frase mas que tem brio nas boas notas e que estuda para as ter; um rapaz que diz que gosta de matemática, adora Educação Física, detesta inglês e acha uma seca português.
Conseguimos também ter um rapaz que tem sentido de humor mas que chora por tudo e por nada, tendo uma Drama Queen dentro dele.
...
Conseguimos, está visto, uma das melhores coisas do mundo, um rapaz com defeitos e qualidades, mas que me enche toda cá dentro. Conseguimos ter um filho que é isso tudo e muito mais.
Somos uns felizardos em tê-lo como filho há 9 anos.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Então Tella, como correram as mini mini -férias?

Maravilhosas mas mais uns dias lá e começava a rebolar de tanto comer!