segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Ahahah [riso nervoso]

Acabei de me inscrever (tudo pago para que não haja desistência), paraduas provas: uma de17 km em Sintra e outra de 21 km em ziguezagues por Monsanto e Lisboa.
Estou doida! Ahahahah [riso nervoso again]

Dezembro está a chegar e a nossa tradição mantém-se: calendário do Advento

Amanhã começa o tão desejado calendário do Advento. Já tenho 27 atividades pensadas e escritas no meu ficheiro. 
A atividade é sempre escolhida na véspera, conforme a hora de chegada e o dia da semana. 

Adenda ao post anterior

A Carolina chegou à meta uns quantos minutos antes.
Quando faltavam 10/15 metros para chegar à meta, entrou novamente na prova e fez aquele pequeno trajeto comigo e juntas, cruzámos a meta. São pequenas coisas que nos fazem sentir especiais.
(Não comentei no momento porque a euforia e tal não levaram a isso, mas reparei Carolina.)

sábado, 28 de novembro de 2015

Da saga "Run Tella, run"

Parei 10 dias, como mandou o médico e ao 12° dia, fui fazer uma prova. Foi uma prova gira de 10 km e relativamente fácil.
Mas ao quilómetro 5, o joelho deu sinal. Começou a ficar pesado e duro, tenso, com uma sensação diferente. Abrandei mas claro, cheguei ao fim com um tempo normal para mim. (Menos de 1h07)
[Já tomei banho e não sinto dores.]

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Energias positivas

Não sei bem a razão mas hoje foi um dia cheio de luz, sorrisos e energias positivas.
Terá sido o sol quentinho, o céu azul, o black friday que calhou num momento em que entrou algum dinheiro extra na conta? Ou terá sido do pequeno almoço da manhã, com sorrisos e sem stress? Ou terá sido da primeira aula da manhã, que foi muito muito gira? Por ser simplesmente sexta-feira e todos sabemos que friday, i'm in love?
Ou então porque decidi definitivamente afastar-me de quem não me quer 100% bem? Será porque o Crato foi, com a graça do senhor, à vida com a sua cambada? Porque os exames do 4 °ano desapareceram?
Se calhar, foi graças a isso tudo, não sei. Mas hoje voltei a ser mais otimista.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Nova rotina

Depois das aulas, vamos dar comida a uma colónia de gatos abandonados.

(Para eles, agora,  é perfeitamente normal comprar a Cais no cruzamento do Campo Pequeno ao senhor de sempre aos fds, dar uma moeda ao senhor que está nos sinais, dar roupas quentes para os refugiados e levar comida a quem precise, sejam eles homens ou animais.)

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Sim, não, talvez

Aos 8 anos e alguns dias, o Tiago alerts o irmão:
"Sabes que o pai natal não existe? É o pai que dá as coisas!"

E eu fiquei muito zangada com ele. Muito mesmo, por querer acabar com a crença do Pedro. E muito mesmo porque é mais uma parte de meu menininho que se vai...
Falei depois com ele. "Quem és tu para dizer a alguém que aquilo em que acredita não existe, hein? Deixa as pessoas acreditarem no que quiserem!"
Ficou num impasse e perguntou novamente "mas ele não existe, pois não? ". Não soube o que dizer mas voltei com a mesma conversar de há uns tempos "Blá blá blá tu é que sabes se acreditas na magia do advento e do pai natal..."

(O Pedro nem percebeu bem e disse qualquer coisa como "não existe aqui, em Lisboa. Mas depois chega cá com as renas!", como quem diz daaah maninho, não percebes nada disso!!)

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Friday night

O Pedro foi lanchar e jantar à casa da ex-namorada!
Haja alguém em casa que aproveite a sexta-feira à noite!

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Eu

Aquela colega que já tem uma certa idade e pode, acha ela, dizer tudo a todos.
  "O seu bronze desapareceu, está mais magra, de facto, mas está com mau ar. Uma base ficava-lhe bem! Não pode andar assim!"
Ok, I get the message. Hoje, cá estou eu de base, de sombra brilhante, de rimel e de pó na cara. Olhei-me agora no espelho e pensei "se calhar, não havia necessidade dos brilhantes!" 
Too much, Tella Marie!

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Estado clínico

Fui fazer uma mamografia. Aproveitei para me queixar do gémeo e do joelho. Um médico de clínica geral viu-me, assustou-me com uma rutura de ligamentos e encaminhou-me para uma ecografia.
[Dilema meu naquele momento: depilação por fazer...]
Ecografia feita e veredito final: inflamação do tendão. Paragem obrigatória durante, pelo menos, 10 dias.
Pffff

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Aquele momento em que vestes o equipamento para correr, depois de ter parado 8 dias e ficas super animada e com um sorriso na cara, como quando usas uns sapatos de salto alto, aquele sentimento que eu descrevo como UPA UPA.
(Ao fim de dois km, o gémeo e o joelho direito deram sinal de vida pela negativa. Bolas!)

domingo, 15 de novembro de 2015

Novo herói

Acabámos de ver os 3 Indiana Jones, os clássicos. (E não este último que fazemos de conta que não existe.)
Só para terem ideia, o nosso objetivo até o Carnaval é encontrar um chapéu e um chicote.
Uma das frases mais ditas foi "O Indy é o maior"!

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Ter amigos fixes

...é uma colega ficar preocupada com o meu joelho e trazer-me no dia seguinte coisas naturais para o ajudar a ficar bom.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Estou lesionada

Na quarta, corri 11 km e notei qualquer coisa no gémeo e no joelho. Senti dores até sábado.
Fui correr no domingo 9km porque "ah e tal, no pain, no gain" e eu passei por bem pior na ilha. Estava a sentir -me bem
Foi uma má ideia, muito má ideia. O meu marido não se cala que tenho de andar com uma moleta. Acho que não é preciso mas dói-me imenso na parte de trás do joelho, que está inchado, e estou coxa como nunca estive.

Heidi: a não perder!

Depois de ter lido o post da Mary QA sobre a Heidi, quis ver. Foi durante uns tempos a nossa série a 4, depois do jantar e antes de os deitar. Vimos sempre juntos os episódios todos. Adorámos. 
Eles adoraram as montanhas, as aventuras, descobrir a liberdade que se tem nas montanhas e sobretudo as personagens. Viram as personagens que sendo boas, também têm atitudes más. É um desenho animado muito ingénuo mas muito real porque a Heidi, o avô, o Pedro, a Clarinha, a Fraulein Rootenmeier, a tia, etc, etc. são normais: têm momentos de felicidade, tristeza ou raiva...como nós. 

Eu nunca tinha visto a Heidi. Como tal, também eu chorei, de mão dada com o Pedro que estava que nem podia, com a partida da Heidi para Frankfurt. Fiquei nervosa com os encontros e desencontros aquando do reencontro do avô e da neta na estação do comboio. O meu Pedro até tapava o rosto de tão ansioso que estava. Chorei sozinha, no último episódio, quando vi o avô resolver os fantasmas do passado, que o assombravam e que não o deixavam ser plenamente feliz. 

Um dia após o último episódio, eles só perguntavam "E agora, vamos ver o quê?" 
Percebi-os perfeitamente. Tinha sentido a mesma coisa com o Breaking Bad. É um vazio grande quando as personagens das nossas séries nos deixam. 

O genérico era o momento de soltar a Heidi que havia em cada um deles: rodopiar, rodopiar no meio da sala e dos móveis, tal como a Heidi o faz...nos Alpes! 



domingo, 8 de novembro de 2015

Hello, I'm James!

Chegou somente hoje. Está assustado. A Fifi é péssima anfitriã. Só sabe bufar para ele, com o pêlo todo eriçado.
(Meto-me em cada uma...)

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Eu, agora

Estou parada no trânsito e só penso que devia estar a correr!

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Da primária

Amanhã, o rapaz tem teste de inglês. Estudámos no fim de semana. Ontem, dia de anos, não tocámos em nada. Hoje, tive reuniões e cheguei à casa às 20h30. O pai só os foi buscar às 19h00.
Tinha organizado os apontamentos, feito exercícios para que ele fosse para a biblioteca estudar sozinho. Como é pouco autónomo e quer sempre a minha presença no momento do estudo, pensei que não o fizesse ou que o fizesse de uma forma atabalhoada.
Pumba, tella, embrulha.
Esteve a estudar, sozinho, sem nenhum colega. E estudou bem. Sabia tudo. Sabe tudo.
Independentemente da nota, ele está de parabéns. Trabalhou muito e bem.

Do dia de anos

Acordei-o a cantar os parabéns mas ele calou-me porque queria dormir mais 5 minutos.
Fui buscá-lo, a ele ao mano, à hora de almoço. Estava super feliz porque os colegas foram para o refeitório e ele para um sítio giro e na moda! Regressou à escola super convencido!
Acabei por comprar um bolo e fui entregá-lo à escola para que os colegas e a professora lhe cantassem os parabéns. (Ele fez questão de levar uma fatia de bolo à professora dele do ano passado.)
Fiz um bolo enqueijado para o jantar e coloquei as velas no dito quando ainda estava quente. Resultado: parte das velas derreteram e mancharam o bolo...
Éramos só os quatro e para ser diferente, jantámos na sala.
Acabámos o dia a jogar Party & Company e foi muito muito divertido.

À noite, quando lhe perguntei do que tinha gostado mais, hesitou. Acabou por escolher uma coisa: "estarmos juntos os 4".

(Se a casa estivesse cheia de gente, não teria sido tão relax, giro e divertido e não lhe tínhamos dado tanta atenção.)

Olá! Sou a Tella e não fumo há muitos dias!

Acabei de ler este post da Mariah e lembrei-me que não o disse aqui: não fumo desde o dia 1 de agosto.
Se tenho vontade? Há momentos, e são momentos lixados, que sim. Mas para ser sincera, não custa assim tanto depois de ultrapassado O momento. Felizmente, cada vez tenho menos momentos. 
Estou muito focada na corrida e sei que se fumar, não vou conseguir correr o que já corri. Basta isso para me afastar da nicotina. O Tiago perguntou-me "tu não fumas graças a mim, não é?" Menti-lhe. Sei que deixei de fumar para poder correr. Sei que deixei de fumar por mim, graças a mim mas, ainda assim, para lhes mostrar que temos de ter uma vida saudável, livres de comida tóxica, processada, cheias de E's e claro, dos 4000 mil químicos que compõe um cigarro. 

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

8 anos

O meu Tiago faz hoje oito anos.
Está quase do meu tamanho, calça o 35/ 36 e já partilhamos as mesmas meias.
Dá-me abraços apertados, que chegam a magoar. Nele, há essa vontade de mostrar afeto, de nos agarrar como se fôssemos uma rocha, há uma urgência de abraçar e amar, há uma necessidade de saber que estamos aqui.
Com os seus 8 anos, ainda acredita no pai natal e que as atividade do calendário do advento aparecem de madrugada com a magia do natal. Não tem pressa de crescer.
Não pediu nada para o dia de anos. Não leva bolo para a escola, nem terá um jantar com a família. Já disse que não havia problema. Somos nós os 4 e é ótimo.
Com os seus 8 anos, é um menino igual a tantos outros mas por ser meu, é especial: é o filho do meu coração.

(E eu ainda me lembro do cheiro dele no momento em que nasceu.)