sábado, 30 de novembro de 2013

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Livros

O Tiago acabou de ler o seu primeiro livro "só com letras e poucos desenhos" Demorámos uns 15 dias. Ele gostou imenso e quer ler outros iguais.
Que bom!

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Um dia, deixo de ter uma vida sedentária

Longe vão os tempos em que corria.
Há uns tempos que me apetece fazer qualquer coisa, mas paralelamente, há também qualquer coisa como o ócio ou a preguiça que não me deixam ir à procura de exercício física. Há, como já perceberam, muito coisa que não faz sentido dentro de mim mas adiante... 
Indo diretamente ao que interessa: tinha para hoje uma aula experimental de zumba. Sim, sim, zumba. Sim, sim, estou mesmo a falar daquela atividade em que se dança ao som de música latina aos gritos. De acordo com os meus colegas de EF e PT's em vários sítios, a zumba é o único exercício físico que eleva o ritmo cardíaco a 190 batimentos por minutos e onde se pode queimar quase 1000 calorias numa hora. Música para os meus ouvidos, senhoras! Fui-me convencendo que a zumba é daquelas coisas que de tão má se torna boa.
Dizia eu que tinha hoje uma aula experimental das 20h às 21h. E não fui, pois claro!
E consegui arranjar N desculpas em menos de um minuto: está frio, é na hora do jantar, não sei se os meus ténis são adequados, não sei se o local fica no início ou no fim da avenida, deve ser complicado estacionar na zona, estou cansada, não vou aguentar aquela música abrasileirada, sempre detestei música aos gritos, and so on...

Mas já liguei para lá e remarquei a aula experimental para a próxima quarta. 

A modos que isso, sou eu: quero e não quero ou melhor, não sei muito bem o que quero ou melhor, eu sei o que quero, tenho é pouca vontade...

Les mystérieuses cités d'or*

Sacámos a série original** e vemos um episódio por dia, juntos,no sofá e com a gata ao colo. É o único momento em que eles veem TV.
Delicioso ver uma série em família, aconchegados uns nos outros e tapados com a mantinha. Pequenas coisas que sabem a muito. 

* Fiquei desiludida por terem traduzido o genérico para português...mas eu continuo a cantar o refrão em francês. Resultado:o Tiago canta-o numa língua qualquer que nao se parece com nenhuma das duas!

** Ouvi dizer que o Canal Panda transmite uma nova versão do desenho animado. Não sei se é boa ou não, pois cá em casa, só temos 4 canais, como antigamente, mas optei pela original para matar saudades de um dos meus desenhos animados preferidos.

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Nota

O Pedro está de férias com os avós. Ontem, ligou-nos e disse-nos "fui à praia e fiz castelos."

E a modos que há gente com grande vida!

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Festa

Ele fez seis anos e teve a primeira festa a sério de aniversário.

O pai trouxe um carro de sete lugares. Fomos buscar a L. que mora por baixo da nossa casa, de seguida o D. e ainda a M. Carro cheio, fomos para a margem sul. A excitação começou aí!  Levámos os putos para um parque completamente descaracterizado, num pavilhão iluminado com aquelas luzes artificiais, mas que é a loucura para eles: escorregas, balões e afins durante uma hora e meia. 
Depois de conseguir tirar os 5 miúdos, fomos para a casa dos sogros que me deixaram de boca aberta. Tinham à entrada da casa um grande cartaz a dizer TIAGO - 6 anos - PARABÉNS com uma mão cheia de balões. A casa estava cheia de balões. O lanche para as cranças estava impecável. Elas comeram e foram para o jardim brincar e brincar e brincar. Os pais dos míudos (nossos amigos há anos) chegaram e fomos ficando na conversa e a comer os petiscos que os sogro fizeram: entradas, pizzas no forno a lenha...Miam, miam...e o meu sogro até fez pizzas vegetarianas para mim. Tudo 5 estrelas. Os putos a brincarem, a jogarem à bola na rua até ás 22h30. 

Nota: enquanto estávamos a cantar os parabéns ao mais velho, o mais novo não quis ir para a mesa cantar nada. Ficou sentado no chão a brincar...

sábado, 9 de novembro de 2013

Vício do momento

Angry Words (Apalabrados)
O Scrabble numa aplicação do telemóvel ou no FB. 
Jogai senhoras, jogai!

sábado, 2 de novembro de 2013

Fui mãe há 6 anos.

Hoje, o meu filho mais velho faz seis anos. Seis. Passou tudo tão rápido. Ainda ontem cabia nos meus braços e agora...

Agora está alto, giro, doce, meigo, amigo, com sentido de humor, divertido, interessado pelas coisas que o rodeiam, muito imaturo, ingénuo, teimoso, chorão e filhinho da mamã.  Sabe também ser chato, reguila e embirrento. Diz coisas como "nunca me vou esquecer de ti" , "vou gostar de ti para sempre" ou "se não me deres brinquedos, não vou cuidar de ti quando fores velhinha". 

Agora está também  um miúdo sensível que não quer ouvir histórias de meninos abandonados ou de crianças infelizes, que fica muito triste quando lemos a história do José Luís Peixoto - A Mãe que Chovia ou o Cão Rafeiro porque há pessoas que vivem na rua, como o cão.

Agora  é um menino que tem poucos amigos na escola, que fica perdido quando os amigos se vão embora mais cedo do que ele e que fica sozinho, sentado nas escadas à espera que eu o vá buscar ou batendo de 10 em 10 minutos à porta do gabinete a choramingar.

Agora é um menino que quer aprender a ler, a escrever, a somar mas que às vezes é inseguro naquilo que faz e apre(e)nde.

Agora e sempre, é um ser fantástico que saiu dentro de mim. A minha carne. O meu filho. E hoje faz 6 anos. 
(há dia mais importante, em que o nosso coração fica assim todo coiso, quase a sufocar, do que o dia de anos deles? )