sábado, 30 de janeiro de 2010

Mais uma nota

- É tão bom ser mãe pela segunda vez porque tudo se faz com mais calma e sobretudo sem ansiedade. Como diria o pai,"a experiência é a madre das cousas".

notas soltas

- a subida de leite é uma coisa lixada que me causa febre, dores e arrepios de frio;
- no exacto momento em que o bebé começa a choramingar por maminha, sinto o leite a subir;
- mudar a fralda a um rapaz é lixado porque resolve sempre fazer xixi a meio da troca e uma pilinha é tão difícil de controlar...molha tudo!
- Pedro ainda não tem horário para mamar: de duas em duas horas, de hora a hora...é a vontade do freguês;
- o cheiro a recém-nascido é inebriante;
- acho que o Tiago está muito grande. Nunca tinha reparado nisso. Tem pernas longas, mãos grandes e uma coxa jeitosa.
- na primeira consulta de pediatria do Pedro, a médica estava mais preocupada com o Tiago porque está constipado e alertou-nos sobre as consequências dessa constipação no Pedro;
- O Pedro só dorme e mama. Espero que essa tendência se mantenha por muito tempo.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

fotos


A preparar-se para sair da maternidade. 2 dias


O encontro dos manos.



Primeiro colo do Pedro pelo Tiago



Apaneleirados...mas tão fofos!

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Deles: primeiras impressões

O encontro entre manos foi o auge da coisa. Uma emoção. O Tiago ficou primeiro parado a olhar para nós, depois veio ter com ele. Fez-lhe festinhas e quis colo!
As coisas têm andando bem. Ele quer o mano ao colo e dá-lhe beijos. Não suporta a maminha. Chora quando o vê a mamar e quer o meu colo e cola-se tanto a mim que até faz confusão. é o periódo mais difícil de gerir.

Eu já os apaneleirei: vesti-os da mesma maneira!

sábado, 23 de janeiro de 2010

Agora falo eu, a mãe

Embora o pai já tenha dito tudo, há só algumas coisas a acrescentar.
Andava eu nas urgências a fazer CTG e já tinha 4 dedos de dilatação e nenhuma dor. Só quando uma médica me fez o toque é que percebeu/percebemos como a coisa estava avançada. Enviou-me logo para bloco de partos. antes disso, fui comer uma sandes lá fora porque estava com fome e voltei para dentro. Fiquei em pé à espera que a enfermeira me levasse para sala de partos. Olhei para o relógio. Eram 14h45 e primeira grande contracção. Tive de me pôr de cócoras. Cheguou a enfermeira e perguntou-me se queria ir de cadeiras de rodas. Recusei. Quanto mais em pé, mais rápido, pensei. Lá fomos, com contracções de 5 em 5 minutos. Pergunta-me se quer epidural. aceno afirmativamente e chego à box onde vou parir e a parteira diz-me que vai me fazer o toque para saber se ainda vou a tempo da epidural. Chega o anestesista que comenta o meu nome e diz umas coisas em francês. a parteira informa-me que não vou levar a dita cuja porque já estou de 7 dedos. Tudo rápido. Ele vai-se embora e chega o Miguel. Só o sinto a mexer-se, a tirar relógio, a respirar comigo, a ajudar a enfermeira, etc. Durante uma das contracções, pensei "não tenho mias filhos!".
O resto já sabem... Faço força. Controlo, de facto, o meu parto. Vou buscá-lo entre as minhas pernas e é uma sensação linda e senti--o a sair de nós também. Depois, é o Miguel que o segura porque não está lá mais ninguém para auxiliar a enfermeira. Nasceu às 15h33. Tive uns minutos intensos (que dói..ui) mas pequenos. Do início das dores até ao fim, tive 45 minutos em trabalho de parto.
Mamou 40 minutos depois de nascer. Agarrou na mama como se toda a sua vida o tivesse feito! Na perfeição.
Ah! e já disse que o meu Pedro é lindo de morrer?

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Olá Pedro!!!

Daqui fala o Pai!
Eram 15:33 do dia 21 quando o Pedro aderiu a este Principado.
Mais uma vez, a mãe foi a heroína desta história.
Eram 10: 30 quando chegamos ao HGO. As 12:10 a mamã entrou nas urgências de obstetrícia. Ao entrar, rebentaram-lhe as águas e logo ficou internada. Por volta das 14:50 chamaram-me. Pensei: não será para agora!!! Contudo, cheguei à sala de partos e lá estava a nossa guerreira sob fogo hostil. Tá tudo bem? Perguntei à enfermeira Leonor.
-Ah e tal, a sua esposa dilatou rápido, houve mudança de turno, o anestesista atrasou-se e não houve tempo de epidural!!! Pronto, We again, pensei eu!!! (Como sou da Beira Litoral, penso em Inglês)
10m depois estava a guerreira a dizer: - Quero fazer força! Incrédula, a enfermeira disse para avançar, enquanto vestia o trajo.
Após a primeira e desregulada tentativa, a enfermeira gritou para a sala: -Tenho um bebé a nascer, quem me ajuda?
Como ninguém apareceu, pediu a minha ajuda. Suba a maca, disse ela, abra mais o "28"#$31"(droga misturada no soro para aliviar as dores da mamã). Mais uma contracção, uma força rebuscada, um empurrão nas costas e eu já via a cabeça peluda do meu nado-vivo. Após o pequeno intervalo em que a enfermeira aproveitou para rodar o bebe, lá veio nova contracção e... pronto eram 15:33 quando esta me pediu: - Segure no seu filhote. Já vi que não vem mais ninguém. Ajude-me a pôr a pinça aqui. Baixe a maca.... Posso cortar? Disse eu.
Após o mais perfeito corte umbilical efectuado, ela colocou o Pedro no regaço da mãe. (Documento em anexo).


Como tudo, a experiência é a madre das coisas. Estive, vi, ajudei, cortei, fotografei, conversei, filmei, etc.. inolvidável e recomendável experiência. Desta vez, nada saiu do plano. O que esperava-mos foi. Porreiro pá.

Esperam-vos mais fotos amanhã após a primeira visita.


quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Telegrama

40 semanas. Stop..
Cuecas muito molhadas.Stop
Líquido amniótico? Stop
Ida à maternidade. Stop

Até já. Stop.
Ou não. Stop

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Apontamentos

- Tenho a mala para a maternidade no carro desde o dia 4 de Janeiro;
- O Tiago entrou em grande nos terrible two! Haja paciência e muita paciência: birras, choros, não e afins...
- O Tiago só foi à creche 9 vezes desde o dia 16 de Novembro. Fica cá em casa comigo. O pior é a mensalidade que continuo a pagar e o choro que vai haver quando ele lá voltar com mais regularidade. Todos os dias, mentalizo-me que o vou deixar uma horitas no dia seguinte e depois, nada disso...
- No domingo de manhã, voltei à maternidade e disseram-me outra vez que estava quase. Recomendaram-me andar muito. Ontem, e porque o Tiago ficou na casa dos avós, saímos para passear às 21h30 e chegámos às 23h30. Estava super cansada mas sempre a andar. Mas foi tão bom passear a essa hora com frio... mesmo giro.
- Todos os dias de manhã, acordo com o mesmo pensamento. Antes de poisar os pés no chão, penso sempre "será que me vão rebentar as águas agora?"
- Detesto quando ligo para os avós e eles dizem-me "perguntámos ao Tiago se quer ir para casa da mamã e ele diz que não" ou "perguntámos ao Tiago se gosta da mamã e ele disse que não". Sei que não é por mal. É apenas para me tranquilizar do que ele está bem mas isso enerva-me tanto!

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

lá lá lá

Se eu soubesse assobiar, estaria a fazê-lo para que o tempo passasse mais rápido!

domingo, 17 de janeiro de 2010

Menti

Estou ansiosa. Assim, de repente, deu-me novamente a coisa. Parece que nunca pari na vida! E estou com um corrimento rosa claro e com poucas contracções... Ai (respiro fundo...)

Esse corrimento rosa claro, alguém teve?

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

39 semanas e um dia e dia de lua nova

e por cá... Ontem, na maternidade, disseram-me que está quase...Mas já oiço essa conversa há semanas (para não dizer meses). Estou na fase em que não me importo, já ultrapassei a ansiedade. Sai quando tiver de sair.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

...

Ainda por cá, com contracções espaçadas de duas em duas horas, ou mais. Acho que ainda vai demorar um pouco...

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Parece que está a querer começar

5h30: primeira contracção que me acordou e me fez respirar como deve ser.
6h40: segunda contracção à sério.
9h00: outra
10h30:outra
11h00: chega a sogra para levar o Tiago a passar o dia e noite com os avós.
13h00: outra

E pronto, já tenho contracções fortes e semi-dolorosas (semi porque isso vai piorar e se gastar o adjectivo doloroso agora, não terei outra palavra para usar quando for de 5 em 5 minutos!)
Agora sim, minha gente, preciso que me digam " uma hora pequena!".

(qualquer coisa, o Miguel avisa e/ou manda sms)

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Ansiosa

- era para ser antes do tempo;
- era para ser antes da passagem de ano ou durante;
- era para ser esta semana (a que passou)

E nada. Continuo à espera, a ver se a contracção seguinte é mais a sério e ... nada.

sábado, 9 de janeiro de 2010

o dormir, sempre o (não) dormir

2010 não está a ser muito bom para o Tiago dormir. Anda a acordar de 3 em horas a dizer que quer que a" mamã deite com o Tiago", a pedir "leitinha" ou a dizer que quer ir para nossa cama. Esta noite foi um caos. Houve às 2h00 e depois recomeçou a cena às 5h30 que só acabou às 6h30. Uma hora nisso... E ele força a coisa ao máximo, o safado. Se for eu a lá ir, faz cenas dignas de um Óscar, sabe que sou mais mel com ele e que quebro mais fácilmente. Com o pai, é uma choradeira a duplicar nos primeiros dois minutos porque quer a mamã e puxa os vómitos mas depois vai acatando o que o pai lhe diz. 5 ou 10 minutos depois, está outra vez a chorar e a chamar por nós.
Eu e o pai passámos a madrugada a murmurar, entre dentes, coisas do género "eh pá foda-se que caralho! outra vez!" antes de nos levantarmos estoicamente e ver o que ele que queria.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Sou oficialmente um barril de pólvora: estou de 38 semanas

Apesar das contracções, do Pedro estar descido há algum tempo, do meu útero estar "uma papinha", cheguei, melhor, chegamos às 38 semanas. Quer isso dizer que agora sim, estou pronta para desovar!

Uma vez que cheguei a este ponto, deixo aqui algumas considerações sobre o parto que há-de vir:
- estou muito mais ansiosa agora do que no do Tiago. Acho que estava mais calma por causa das aulas de preparação para o parto que me ajudaram muito. Só não fiz agora porque são 180 euros e ...está tudo dito!
- espero que, desta vez, ninguém se esqueça da placenta cá dentro;
- quero dar maminha 30 minutos depois do Pedro nascer;
- estou confusa sobre a respiração a cão, a soprar a velas e afins. Mais do que confusa, estou esquecida;
- vou tentar não levar epidural mas se começar a ser muito difícil, grito por ela!
- espero não soltar um "foda-se" outra vez;
- espero que seja rápido, rápido, rápido!

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Falso alarme

As dores que não me deixam andar são musculares.
O que eu penso ter sentido deslocar-se é o rolhão mucoso a sair.
Estou com um dedo de dilatação.
O Pedro está bem e eu mais calma.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Fiz asneira e agora?

Fui parva e fiz um esforço desnecessário. Senti qualquer coisa a deslocar-se e desde então (há mais de 8 horas), continuo com uma dor constante no baixo ventre. Quase que nem consigo andar.
Vamos jantar e a seguir vamos à maternidade.
Ansiedade é pouco para descrever o que sinto.

sábado, 2 de janeiro de 2010

De 2009

- a gravidez do Pedro que em tudo foi diferente da do mano. Aquela felicidade constante, aquele brilho nos olhos, aquela união com o Miguel que me fazia sempre lembrar uma espécie de santíssima Trindade não se evidenciou desta forma. Não posso deixar de ficar triste por não sentir a mesma coisa;
- a gravidez do Pedro, de mais um filho, da carne da minha carne, amado e desejado desde o início;
- o Tiago e o Miguel, sempre.
- a excelente relação que estabeleci com os meus alunos do 9º ano no ano lectivo anterior e a difícil conquista que tive com os miúdos do 8º ano, tendo, muitas vezes, a sensação que estava a remar para um lado e eles, todos do outro lado do barco, a remar em sentido inverso;
- a doença do meu pai que me minou a cabeça (e o coração) e que me fez pensar que ele se fosse embora a qualquer altura;
- o ambiente hostil no trabalho desde que engravidei e a nítida sensação que me querem lixar a qualquer custo. A consciência do que não somos nada para a entidade patronal;
- os sustos com a gravidez: perdas de sangue e contracções demasiado cedo;
- as férias na Páscoa com o Miguel e Tiago que nos reaproximaram ainda mais, numa altura em que estávamos todos a precisar;
- a ilha de Armona, local idílico para tudo e mais alguma coisa;
- os meus amigos sempre presentes, apesar das ausências;
- a rotina, implacável, transformou-me, em muitos momentos, num autómato;
- o crescimento do meu irmão em vários sentidos;
- várias coisas não cumpridas e sempre adiadas;
- as -ites coleccionadas pelo Tiago;
- o crescimento e desenvolvimento do Tiago que me enche a alma;
- o amor pelo meu filho que não se (d)escreve, apenas se sente;
- os altos e baixos com o Miguel e o pouco tempo que dedicámos à nossa relação;
- muitos livros para ler e outros tantos filmes para ver;
- a última série do Lost que me deixou colada à televisão e desejosa que comece a próxima (e última) temporada;
- a decisão de me dar mais valor, depois de olhar-me ao espelho e pensar " foda-se, faz qualquer coisa, rapariga!";
- a relação conturbada com a creche: fica? sai? fica? sai?
- muito mais coisas mas a memória é tramada e pronto...

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

12

Ontem, cada um de nós resolveu pedir 12 coisas. Por incrível que pareça, foi um exercício difícil mas depois de pensar muito, encontrei os meus 12 desejos para 2010.
1. Ter uma empregada da limpeza;
2. Ter uma hora pequena;
3. Que o Pedro nasça sem qualquer problema;
4. Os meus filhos crescerem sem quaisquer problemas de saúde;
5. Ter mais sexo;
6. Ter mais tempo, vontade e jeito para me arranjar, tratar de mim;
7. As melhoras do meu pai;
8. Arranjar outro sítio para trabalhar;
9. Ter mais tempo para a nossa relação;
10. Ser mais organizada;
11. Chegar ao mês de Maio com, pelo menos, 60 quilos (pode ser menos, claro!)
12. O meu marido não me troque por outra! (era preciso mais um desejo e não me lembrava de mais nada!!!)

2010

Que seja só de coisas boas!

E há-de ser!