sábado, 28 de março de 2015

Apalavrados

Aquele momento em que jogas ao "teu" jogo com o teu filho...

Obrigada São Pedro!

segunda-feira, 23 de março de 2015

Pequenas coisas que me deixam contentes

Não sei se é para manter mas eu espero que sim.
Graças à Mary (amanhã ponho o link que agora não consigo), fiquei com vontade de correr.
Ontem, domingo sem filhos, convenci o marido, falei-lhe da motivação que tinha e ele alinhou comigo. Fomos correr. Foi difícil mas foi muito bom: um total de 5 km a correr e a andar.
Hoje, toda moída das pernas, fui correr outra vez. 2,5 km a correr e 3 a andar rápido (e subir de Santa Apolónia à Graça foi puxado ou como disse a minha sobrinha emprestada que quis ir comigo "tia, vou vomitar um rim!").

E eu quase que não me mexo neste preciso momento mas  sinto-me a maior por querer, ir e conseguir.

Tu sabes que há uma otimista em ti quando ...

.... vais à caixa da roupa de verão e tiras três biquínis para passar a próxima semana no Algarve!  

(Vá lá São Pedro, sê amigo!)

terça-feira, 17 de março de 2015

Star Wars

Andamos a ver os filmes da Guerra das Estrelas. Dois amigos doTiago falaram-lhe tanto dos filmes que tivemos de ver. Ele até já sabia o nome das personagens e as suas características. Eu nunca tinha visto, o pai também não. Por isso aproveitamos e  atualizamos a nossa lista " clássicos que toda a gente viu menos nós "!
Eu ando a ler as legendas* em voz alta porque o Tiago só consegue ainda ler a primeira linha e porque o Pedro, apesar de dizer que sabe inglês,  está a gostar muito também. Para ele, não há dúvidas,  o herói é o Yoda que "luta muito e é rápido"!


* Que a força esteja comigo para levar a cabo tarefa tão chata! 

sexta-feira, 13 de março de 2015

Como calar uma mãe

- Ó Pedro, faltam duas colheres para acabares o Nestum. Vais comer porque pediste muito e  disseste que tinhas fome. Não se deixa comida na taça. Sabes que há meninos que não têm nada para comer e que nunca comeram Nestum?
- Sei. Não achas que era bonito dar comida aos meninos que não podem comer? Por isso é que não como tudo, para lhes dar comida.


Os livros

As minhas leitoras mais atentas já pensaram certamente no assunto. "Entao a Tella não andava numa de ler , pelo menos, um livro por mês?"
Pois andava, mas 2015 trouxe-me novamente uma vontade de ficar a ver filmes, séries e blogues até mais tarde . A leitura fica sempre para amanhã.
Li apenas o livro "Disciplina Positiva" da Jane Neslon. E recomendo a todos os pais, pois fals de ma abordagem sem gritos  e com cooperação.  Dá que pensar tanto. Um autêntico desafio e gerou em mim uma vontade tão grande de ser uma mãe diferente, para melhor, espero eu.

Coisas do meu Tiago

- O XX da minha sala é sortudo. Tem duas mães.
-Porquê ?
- É sortudo porque as duas mães compram cartas do Invizimals.
- Mas uma coisa não tem nada a ver com outra.
- Sim, mas também é fixe ter duas mães. E também é fixe ser como nós .
- Tudo é fixe. O que interessa é o...?
- A família... Mas olha, compras-me cartas dos Invizimals? [e o tom dele era « calas-te com essa conversa que estou farto»].

segunda-feira, 9 de março de 2015

Sobre o dia da Mulher

Já passei por várias fases no que diz respeito a esse dia.
Já o achei ultrapassado porque afinal de contas a cena de queimar soutiens em praça pública já tinha sido há décadas e achava que já havia igualdade entre homens e mulheres. Vivia nessa altura, está visto, no meu pequeno mundo.
Depois, passei pela indignação: dia da mulher? Então mas por que razão há de haver um dia da mulher se não há um dia do homem. Somos gente ou não somos?
Passei pela fase "dia da mulher é quando uma mulher quer"...Estar aqui a inventar coisas...pffff.
Passei pela indiferença e depois  pela indiferença de quem sabe o que quer mas não lhe apetece meter-se ao  barulho, ter de dar uma justificação. Enfim, assobiar pró lado.
Este ano, dois acontecimentos mostraram-me uma perspectiva diferente:
1. A minha avó, que não sabe ler nem escrever porque não foi à escola ao contrário do seu irmão (pois),perguntava-me no sábado se o dia da mulher era no dia seguinte. "Agora há dias para tudo...mas olha, quando eu era moça, as mulheres só tinham porrada e filhos". E fez-se silêncio.
2. O meu mano esteve comigo num evento familiar. Estava com a filha porque a minha  cunhada estava a trabalhar. Obviamente, esteve sempre com a filha.Deu-lhe comida, muito colo, adormeceu-a, mudou fraldas,etc.
Era ver e ouvir os comentários dos homens da família "eh pá ...a mulher não está cá e estás de castigo!" ou o melhor "deixa a miúda com a tua irmã. É mulher,percebe mais disso". E risos de escárnio. Que nervos.

Percebi então que no dia da mulher, não se celebra nada. Nem se deve celebrar nada. Deve-se apenas perceber e lembrar que já andámos muito mas que o caminho a percorrer ainda é muito longo.