sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Tarde bem passada


Almocei na companhia de dois grandes amigos: o M. e a M. na faculdade. Voltámos à faculdade e foi engraçado rever e reviver algumas coisas. E aquela esplanada...já me tinha esquecido do quão bom era estar lá sentada... Mas alguma vez na minha vida eu pensei que teria de sacar da mama na esplanada?
Algumas coisas mudaram, mas foi sobretudo eu que mudei. Já não me reconheci com o sítio, nem com as pessoas. Parece que sai de lá há muitos anos. Apesar disso, foi bom, muito bom
Na próxima sexta, estamos lá outra vez!

Era capaz de levar essa dolce fare nient a vida toda...


Também já agarra... (parte 2)

...os meus cabelos. E com muita força! E associa o cabelo "à coisa" e faz todo o sentido.
Agarra a coisa, puxa e há música.
Agarra o meu cabelo, puxa e ouve-se um "Aí".

Por vezes, até fica com cabelos na mão.

Já agarra

Olha para as coisas, como quem pensa "Huum, isso está a 31 cm de mim", estende a mão para tocá-las, como quem pensa "Huum, não me enganei na distância" ou ainda " afinal está a 32 cm de mim" (eu sei, eu sei...tenho um puto bastante precoce no que diz respeito ao raciocínio!) e tumba [no comment sobre esta onomatopeia, ok?], abre a mão e agarra no objecto em questão.
No domingo, colocamo-lo debaixo do ginásio que os tios lhe ofereceram e quando ele puxou uma coisa (não sei como designar a "coisa"), ouviu-se uma música. Eu e o pai estávamos na soleira da porta do quarto dele, todos babados e orgulhosos pelo novo feito.
A partir daí, foi sempre a ouvir a dita música.



NOTA: Ah e tal, o brinquedo estimula bem a criança, ficamos contentes quando ele puxa a "coisa", mas chega a uma altura em que aquela música é tão enervante...


quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Mais um

Desde o dia 2 de Novembro que somos seis milhões e um e desde o dia 23 de Fevereiro que o Benfica tem mais um sócio. O pai já agarra a mão do filho e diz "SLB! SLB! SLB!". O Tiago não tem como fugir ao Glorioso. Já quando estava na minha barriga, o pai cantava/gritava alguns cânticos clubísticos para ele! É im-po-ssi-vel! É, não é? É que seria um grande desgosto para o pai...



Tal pai, tal filho


O pai há 30 anos atrás.
O Tiago é mesmo parecido com o pai.

Com o tio Jey!

O meu bebé com o meu mano do coração. Desejo que tenham uma relação próxima e cúmplice, como nós os dois temos. Quero também que lhe mostres o mundo, irmão!



quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Sono? Quem anda com o sono, hein?

Desde que nasceu que o Tiago mama de duas em duas horas, de dia e de noite. Para além de estar sempre com a mamoca de fora, ando cansada e sempre com sono. No outro dia, conheci uma mamã que tem uma filha com a mesma idade que o Tiago. Falámos sobre os nosso bebés, tipo "ai, o meu já faz isso e aquilo" ou "ah! mas o meu também faz e mais isto ainda!" Enfim...uma seca de conversa para quem estava de fora mas interessante para nós as duas.
No decorrer da conversa, a mamã da L. diz-me que a filha dorme 9 horas seguidas durante a noite. Mama às 23h00 e depois, só volta a mamar às 8h00. Foi como quem me apunhalasse pelas costas! Então, há bebés que deixam dormir as mães e há o meu, que me faz acordar de duas em duas horas? Olha...que...que... Adiante... Contou-me ainda que dava banho à filha às 22h00, um pouco antes da última mamada e que a bebé ia para cama super calma e cansada. Pensei: "sou mesmo loba, dou banho ao Tiago às 19h00...".
Cheguei à casa e pus em prática o plano da S., ou seja, dar banho o mais tarde possível. Na primeira noite, o Tiago mamou às 23h00 e acordou às 4h00 para mamar e depois disso, novamente de duas em duas horas. Que alegria a minha, afinal de contas há quase quatro meses que eu não dormia assim tanto! No dia seguinte, acordou às 3h00 e depois de duas em duas horas. Continuei feliz, afinal dormi 4 horas sem interrupções. Hoje, acordei às 2h00 com ele a choramingar como quem diz "onde é que está mama, hein?!". Vá...com um grande espírito de sacrifício, continuo, digamos que um pouco contente!
A lógica leva-me a crer que amanhã, o puto vai acordar à uma,e depois às três, e ainda às cinco, às sete, etc... Temos pena! Alguém conhece alguma técnica para por o Tiago a dormir mais tempo? É que eu quero dormir 10 horas sem interrupções como antigamente!!!!!
AAAAAAAAAH! [desculpem a gritaria, mas foi um desabafo!]


segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

A birra, o choro e a manha

Pois é, o Tiago descobriu, há dias, essas três coisas. Eu que pensei que ele fosse passar ao lado delas, mas não...não resistiu!
Chora quando tem sono, digamos que faz birra para dormir. Luta contra o sono e só adormece no meu colo (essa parte, vá, até que é boa!!!).
Quando estamos a jantar, ele choraminga e só se cala quando olhamos para ele e lhe falamos.

Quando não quer estar em determinada posição ou quando não está como quer, chora também.

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Estimular

O Tiago tem um pai que gosta muito de o estimular. Quando o Tiago fez 3 meses, ele estava a ler uma revista sobre os estímulos que deveriamos fazer ao nosso filho. O Miguel focou-se nos estímulos para os 4 meses e 5 meses. Gosta de fazer com o filho coisas que ainda não são para a idade dele. Desde que nasceu que é assim. Só lhe falta dar uma caneta ao filho e dizer "vá, escreve o teu nome"!
Agora, está na fase do sentar. O pai quer que o filho se sente mas claro, ainda é muito cedo. De qualquer maneira, não deixa de ser uma ternura vê-los.

Aguenta-se um segundo, o tempo da foto, e ...


...cai para trás (ele adora) ou...


para o lado!

sábado, 23 de fevereiro de 2008

Rescaldo da saída

Estive com as minhas amigas. Foi bom mas soube a pouco. Às 23h48, o pai liga-me a dizer que o Tiago não quer o biberon. Já experimentou 3 diferentes e nada. Só chora com fome.
Saio do nosso encontro super nervosa e aflita...Ena, estou tão longe de casa...E o táxi que anda pouco.
- não dá para acelerar. Estou com pressa!
- sim, sim
E para-se em todos os sinais. E há algum transito. Nunca mais chego e o carro do táxi que não anda. Moro mesmo longe...
Chego à casa à 0h35 e está o pai a vesti-lo, depois de lhe ter dado banho. Ele chora muito. Disse o pai "já chorou mais hoje do que no resto da sua vida."
Senti-me culpada e arrependida, com vontade de chorar.

Chegámos à conclusão do que leite não estava em condições. Tinha um cheiro horrível, a peixe. Foi mal condicionado no congelador e apanhou o sabor das douradas ou do bacalhau. Duvido que seja dos biberons porque já bebeu deles e correu tudo normalmente.

A primeira saída não correu muito bem...


sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Saída

Daqui a nada, vou ter com as minhas amigas. Vou sair e deixar o meu Tiago. Pensei que fosse mais fácil. Já pensei cinquenta mil vezes em ligar e dizer que não vou. Queria ter uma desculpa válida para não ir. Não tenho. Vou. Por um lado, quero estar com elas, rir, chorar, dizer parvoíces, ouvir as histórias de cada uma delas e contar um pouco a minha; por outro, quero estar ao lado dele e dar-lhe mama quando ele pedir.
Sei que ele está bem entregue. O pai trata dele como eu, sem dúvidas, mas não tenho mama. Será que o leite congelado é o suficiente? Que quantidade de elite é que o Tiago mama? Tantas dúvidas e tantas perguntas. Já repeti as coisas ao Miguel mil vezes. Já nos chateámos por causa disso! Ele pensa que não confio nele. Claro que confio. Só vou sair porque é ele que fica com o Tiago. Mas como fazê-lo perceber que é mais forte do que eu, do que o meu coração está apertado, e que até tenho vontade de chorar com receio de qualquer coisa durante a minha ausência... Doí.
Estarão algumas pessoas a pensar "que exagero!". Se calhar, têm razão. Já pensei assim, sem dúvida. Eu que cagava de alto as minhas sentenças e verdades acerca de ser mãe! Que ingénua!
Daqui a nada, dou mama ao Tiago e vou ter convosco amigas. Vou porque são vocês, porque gosto muito de estar convosco, porque não vos quero desiludir, porque tenho de ter sempre em mente que há mais vida para além do Tiago (apesar de ele ser muito da minha vida.)
De certeza que amanhã, venho blogar e dizer "ena pá, foi tão fixe. Ainda bem que fui ter convosco!"
Até já.


Resolução

Uma vez que ainda estou assim...

Calças mais largas que tenho e que nunca usava por serem largas...

...resolvi comprar roupa com os meus novos tamanhos... Já estava farta de vestir roupa de grávida. Parecia um saco de batatas.
Foi difícil acertar no tamanho, mas agora já sei qual é o meu novo número. Passei do 38 para o 42! F***-se!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Epa, enerva-me

tanto mas tanto procurar uma coisa e não saber onde está!
Mas onde é que está a porcaria do cabo que liga a máquina fotográfica ao PC?

Tentativa falhada

Depois de tanta conversa e de tanta pesquisa, demos, há pouco, a primeira papa ao Tiago. Depois de ter convencido o Miguel a dar maminha em exclusivo e esquecer o que o pediatra disse, tive de convencê-lo a dar papa ao puto agora.
Porquê? Por dois motivos
1) Amanhã, vou sair com as minhas copines e receio ter pouco leite armazenado e uma papa é menos uma refeição de leite;
2) Tenho ideia que os bebés aguentam mais tempo a dormir se lhes dermos a papa como última refeição do dia. É que ando cansada porque o Tiago continua a mamar, à noite, de duas em duas horas. Ontem ou no outro dia, já nem sei, dei-lhe mama à 1h00 e acordei com ele a chorar ao meu colo a pedir mais mama às 3hoo. Nem imaginam a dor de pescoço...

Voltando à papa, tenho de dizer que ele não a quis. Chorou, melhor dizendo, berrou até que o pai teve de desistir. Veio para o meu colo e agarrou-se à minha mama com uma gana daquelas!
Cá entre nós, fiquei tão contente que ele tenha preferido o meu leitinho...
E amanhã à noite? Logo se vê!

Sonho esquisito

Esta noite, sonhei com a Sandra C. e a Sofia. Até aí, dir-me-ão vocês, nada de estranho. Pois... mas eu não conheço a Sofia. Corrijo, não conheço pessoalmente a Sofia. Conheço-a através do blog, somente. Não lhe conheço o tom de voz, os tiques e os jeitos que cada pessoa tem quando fala. Mas no meu sonho, soube isso tudo...
Estávamos num jardim qualquer, as três encostadas a uma pedra (ou coisa assim) e falávamos. A Sandra falava do R. e depois disso, a Sofia disse qualquer coisa relacionada com sexo e teve muita piada. Disse-lhe "gosto de ti porque és cómica, super expressiva e directa!". A Sofia franziu o olhar e disse "sou mesmo assim, conheces-me bem!" E não me lembro de mais nada.
A conclusão que tiro do meu sonho (se é que há conclusão a tirar mas adiante) é que os blogs aproximam as pessoas.
Sim, é uma conclusão assim pró curto e pró simplório!

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

12 palavras

Recebi o desafio da M. via mail, mas respondo aqui. Pede-me para escrever as 12 palavras que mais gosto. Bem difícil!. Vou escrever as doze primeiras palavras que me hão-de vir à cabeça e que têm algum significado para mim. A ordem é completamente aleatória.

ATABALHOAR - Sempre gostei da palavra por causa da fonética. Deve ser das poucas palavras cujo som remete para o significado.

FÉRIAS - Preciso de explicar as razões?

PRAIA - Para mim, férias sem praia não são férias.

BRISA - Gosto de sentir no rosto uma aragem fresca. Dá-me sempre vontade de respirar fundo e ganho um novo alento.

PSICHÉ - Há uns anos, estávamos a ouvir uma música de Rui Veloso (não sei qual) e ele diz "junta a cama e ao psiché". Olhámos um para o outro e desatámos a rir, feitos parvos. Desde então, a palavra faz parte da nossa história e sempre que ouvimos a música, rimo-nos.

FODA-SE - Mais do que a palavra, gosto sobretudo do som final (dasse). Quando estou irritada, sabe tão bem dizê-la. É um peso que sai de cima de mim. Tanto que tive de pronunciá-la durante o parto...Só eu!

BORDEL - Na minha casa, sempre se utilizou essa palavra por associação ao francês "quelle bordelle!". Há uns anos para cá, esqueci-me dela até que ao momento em que a vi escrita no blog da C. e voltei a lembrar-me dela. Obrigada C.

PANÃO - No dicionário, diz que panão é um pano grande. Para mim, o panão é um palerma, mas não um palermo qualquer, é O palerma, O totó. Toda a gente conhece um panão, não é?!
Sempre ouvi o meu pai chamar-me panoa (feminino) e panão ao meu irmão e tinha uma conotação carinhosa. Ainda acho piada e gosto muito.

SUL - Gosto do Sul, do azul do céu do Sul, das pessoas do Sul, da comida do Sul, das praias do Sul, das estrelas do céu do Sul, das cores do Sul.

LOBA - O avô do Miguel estava sempre a chamá-lo loba por não me engravidar! A expressão ficou e estamos sempre a chamar-nos isso um ao outro. Tanto que já chamamos ao nosso filho lobita!

LIVRO - Leva-me a todo o lado.

CARNE - Não é a palavra em si, é a expressão "carne da minha carne". Há quase 4 meses que ando diariamente a saboreá-la e adoro.

E pronto, eis a minha selecção. Na verdade, se eu fosse fazê-la num outro dia, tenho a certeza que não escolheria as mesmas palavras, pelo menos algumas. Então, se fosse num dia daqueles em que estamos com uma neura, imagino a minha selecção!

Diz ainda o desafio que tenho de enviá-lo a não sei quantas pessoas. Não o vou fazer, mas gostava que as minhas cop's o fizessem e já agora que as pessoas que me lêem, se têm vontade, que o façam também!

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Dia de hoje

Tínhamos combinado passar o dia em Sintra. Mas hoje está mesmo bom para ficar em casa, sentados no sofá e enrolados no cobertor a ver uns filmes ou séries. O Tiago está a colaborar com os pais porque não pára de dormir e deixa-nos estar a vegetar...

sábado, 16 de fevereiro de 2008

Eu faço com cada filme...

Ontem, fui a Lisboa ter com a minha amiga C. Como a loja dela fica no Areeiro, resolvi ir de comboio. Na plataforma, ouço uma mulher dizer "vou ver o bebé" e pede se pode espreitar. Ela começa a falar com ele, a perguntar pelo nome, pela idade e tece imensos elogios ao meu rebento. Já sabem que nessas situações, fico toda babada.
A senhora tinha uma voz melosa, óculos da
Dior e dois pormenores que me prenderam a atenção: um baton rosa choque que ultrapassava os limites dos lábios e o os pelos do buço a rebentar. Sabem aquela coisa que nos prende e para onde não queremos olhar mas para onde cai sempre o nosso olhar? aconteceu isso. Mas adiante.
Pergunta-me se vou para Lisboa e responde-lhe que sim, que vou ver uma amiga. Viro-me para o Tiago e digo-lhe " 'mor, vamos ver a tia C." A dita diz-me "então, mas vai ver uma amiga ou uma tia dele?" Pensei logo "então mas essa está parva!" mas lá lhe expliquei (só eu mesmo) que as amigas são todas tias dele. la lá me diz que vai para Alvalade, ao psiquiatra, que eu sou uma sortuda porque não vou para lá. Começo a ficar em alerta e a agarrar o carrinho com força. Não sei bem porquê, se calhar pela maneira como falava com o meu bebé. Pergunta-me se o Tiago é o meu primeiro filho e depois diz-me "pois ainda é nova" e à questão "é bom ter um filho?", reponde-lhe que sim, que é a melhor coisa do mundo e que o Tiago é uma bênção. Olha-me assim de frente e diz: "nunca tive filhos, não sei o que é. Não os arranjo com 50 anos. Quando podia, não encontrei a pessoa certa. Sou seca e fria por dentro." Imediatamente, veio-me à cabeça a imagem da Nazaré da novela Senhora do destino e, assustada, fiz o filme: "ela quer levar-me o Tiago". O coração até começou a bater mais rápido. Chega o comboio e ela colada a mim e ao carrinho, a dizer "o Tiago parece gostar de mim, gosta, gosta". Eu a olhar em redor e ver a quem podia pedir ajuda, se necessário. Ficou ao meu lado, em pé quando havia muitos lugares para se sentar. Resolvi então tapar o Tiago e viramo-nos de costas para ela. Ela acatou e foi para outro sítio.
Sempre que o comboio parou, fiquei com medo de a ver. A sério. Não consigo explicar o pavor que senti quando meti na minha cabeça que ela talvez quisesse levar o Tiago. Até me doía as mãos de segurar o carrinho com tanta força. Até já visualizava a cena da pancada se ela tentasse!
Quando cheguei à estação, ainda olhei umas duas vezes para trás, não fosse o diabo tecê-las...

Se calhar, exagerei um pouco... Mas ela fez-me sentir como um animal que protege a sua cria de um predador. O meu instinto animal veio ao de cima.
Mais um síndrome de mãe, com certeza...

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Martelo levantado


Já consegue ficar nessa posição 10 - 15 segundos.

SLB

Engraçada a nova forma do Miguel festejar os golos do Benfica. Já não grita "GOLO". Sussurra apenas! Contém-se tanto!

Eu sei que me repito

É tão bom, mas tão bom ter o meu menino a dormir, enroscado a mim, depois de mamar... Aiiiii! Que bom! Dá vontade de o acordar com mil beijos no pescoço.

Huum...

...a modos que estou aqui a pensar que, se calhar, já é altura de arrumar os enfeites alusivos ao Natal...

Os meus dois amores

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Barbi-ruivo: o meu primeiro Camões

Comprámos esse livro, escrito por Manuel Alegre e com ilustrações de André Letria. É um livro que dá a conhecer o poeta e a sua obre. O livro é muito bom, está muito bem escrito (eu sei que sou suspeita, uma vez que sou fã de Alegre) e as ilustrações enriquecem-no ainda mais.




segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Fotos do Carnaval

O dia de Carnaval não passou completamente despercebido em casa...Enfim, coisas do pai!



Primeiro beijo

O Tiago recebeu o primeiro beijo na boca de uma loiraça de olhos azuis. O beijo foi mesmo à novela, com cabeçinha de lado e tudo! Os putos estão cada vez mais precoces!

Está ele a pensar: Huum! Eu queria mais um!
Está ela a pensar: Deixa-te crescer!

Sábado à tarde no jardim Gulbenkian







Nota: O jardim é bonito, mas não é muito prático para os carrinhos dos bebés porque tem demasiadas escadas.

Quero uma coisa desta



Parabéns Dinis!

Há um ano que este menino traz alegria aos pais!

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Aidita: a avó fenómeno - 3ª parte

Sexo e amor.
A avó sempre me deu conselhos amorosos e sexuais. Há muitos anos atrás, recomendou-me que fosse "limpa" para o casamento, para o meu marido me ter respeito para toda a vida. Algum tempo depois, ensinou-me a sua fórmula mágica para ter um bom casamento: ficar sempre por baixo. "Se o teu marido ralhar, tu calas-te, mesmo que tenhas razão." Expliquei-lhe que não, que agora já não era assim, que nós mulheres éramos como os homens e que ninguém tinha de se calar. Ela disse-me logo "é por isso que há muitos divórcios. E digo-te já, na cama, também tens de ficar por baixo dele. a mulher fica sempre por baixo, em tudo!"
Quando o Miguel ficou a dormir em casa dela, pela primeira vez e ainda a namorar, ela, muito despachada, perguntou-lhe "Ó Miguel, quer que eu vá fazer uma cama para si ou ajeita-se ao pé dela?". Muito a frente a minha Aida! Reparei, disse-me ela, que vocês já dormem juntos... No verão, quando se junta a família, ela avisa as mulheres lá de casa que não quer "ninguém a fazer meninos. Tem lá algum jeito eu ouvir-vos. Não, não. Ninguém fornica!"

Em Agosto, a avó contou-me a sua história com o avô. Mais do que a história romântica , contou-me a sua história sexual.
As primeiras palavras foram trocadas num dia em que a mocidade fora roçar mato. Ele ajudou-o a atar um molho de mato e ela disse-lhe "O senhor tem mãos grandes. Consegue fazer isso melhor do que eu que tenho mãos pequenas." Ele agarrou-lhe na mãos e disse-lhe "estas mãos ainda hão-de fazer muita coisa por si". Confessou-me o local onde se entregou ao avô pela primeira vez, ainda solteiros, os melhores sítios para fazer amor com o namorado, a vez em que foram quase apanhados pelos chefe da fábrica, as aldrabices que arranjavam para ficarem sozinhos na fábrica e esta frase que ela disse, envergonhada: "às vezes, a caminho de casa, fazíamos ali, debaixo de uma árvore e sabia bem! Era onde calhava!". Convém dizer que durante esta conversa, ela foi dizendo "ai, devo estar parva para te contar isso!" e fechava os olhos com vergonha de me encarar. Adorei conhecer a história deles, perceber que o pseudo-conservadorismo da avó era uma fachada, mas gostei, sobretudo, do momento de partilha e de cumplicidade. Disso é que nunca me vou esquecer...

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Ainda sobre o post anterior

Só para dizer que agora sou tão fácil de contentar. Basta alguém dizer-me que tenho um filho lindo e simpático e pronto, fico com um sorriso de orelha a orelha, feliz da vida!
Mais um síndrome de mãe...

Hoje, fui ao colégio com o Tiago. Gostei imenso de lá ir e de ver alguns colegas. Gostei de pôr a conversa em dia com a S., sentadas nos sofás azuis da sala dos professores. Tudo quase como dantes, nós as duas no nosso cantinho a falar baixinho. Digo quase porque desta vez, tivemos um terceiro elemento: o Tiago pendurado na minha mama!

Mal entrei no colégio, a funcionário, A., levou-me o puto à aula de matemática para ver a tia S., depois foi ver a senhora das fotocopias, a F. e eu a tratar do cartão da ADSE dele. Quando vou ter com eles, a minha turma do 7ºD do ano passado faz-me uma festa daquelas! Muitos abraços e muitos beijinhos e o Tiago D., aluno rufia mas adorável que está um pouco na origem do nome do meu Tiago, diz-me "Stora, o puto? Tenho de lhe ensinar umas coisas!". Gosto mesmo daquele puto!
Foi tão bom ter aquelas crianças (que cresceram tanto em três meses!) todos à minha volta a fazerem-me 50 mil perguntas ao mesmo tempo!

Gostei de lá voltar, sim. Mas acho que gostei de lá ir porque foi só de visita e porque toda a gente me disse que tinha um bebé simpático e bonito!

Aidita: a avó fenómeno - 2ª parte

Os ditos, as frases e algumas palavras.
A avó tem essa mania de repetir-se. Há frases que ela repete umas duas ou três vezes por dia, se necessário. É, nalguns casos, a maneira dela de analisar as coisas. Quando se fala da atitude de A ou B, ela não o julga, apenas diz "temos cinco dedos na mão e nenhum é igual". E pronto, está o assunto encerrado. Quando se fala de uma acontecimento qualquer, diz sempre, em jeito de conclusão "A vida é uma roda que passa por todos". Quando se critica alguém, ela diz logo "deixá-lo, filhos, deixá-lo". E já sabemos que ela não quer falar mais daquilo.
Agora com o nascimento do bisneto, também têm dito sempre as mesmas frases. Quando está com o Tiago ao colo, diz sempre, mas sempre "eles são difíceis de criar, mas parecem bem" e ""ai! quem não cria, não pia".
Perguntou-me se queríamos ter mais filhos. Anui. Então disse-me que fazia bem porque "olha, toda a vida se disse que quem tem um filho, não tem nada; quem tem dois, tem tudo; quem tem três, tem tudo e quem tem quatro, tem trabalhos dobrados". Não me parece muito lógico, mas Aida dixit e pronto! Desde então, já me repetiu essa lengalenga três vezes.
Os meus avós, com 40 anos, decidiram sair de Portugal. Deram o salto e foram para a França. Ficaram por lá uns 15/20 anos. A avó nunca conseguiu dizer uma frase em francês. Mas há duas palavras que lhe ficaram e que ela utiliza. Aliás, nunca as disse em português e se calhar nem sabe que são palavras francesas: poubelle [lixo] e grenier [sotão].
Há palavras que ela não consegue pronunciar: tutubiotico e disputeca são um clássico. Já a corrigimos N vezes mas ela costuma dizer que burro velho não se ensina e parece gostar de fazer jus ao provérbio.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Pequeno prazer

Ir para a cama às 21h30, colocar o Tiago no nosso meio e dar-lhe muitos mimos são pequenas coisas que sabem tão bem!

Dia de vacina...

é uma treta! O Tiago está triste, a chorar muito e chocho. Pede mais mama que o habitual, quase de hora a hora. Mais do que mamar, precisa de sentir contacto físico. Se normalmente lhe damos muito mimo e muito colo, hoje então, nem se fala.
Adormeceu agora ao meu colo. Uh! Que bom!

Aidita: a avó fenómeno - 1ª parte

A apresentação.
A minha avó Aida é uma mulher fora do comum. Nasceu no tempo em que as mulheres raramente iam à escola e como tal, não sabe ler nem escrever. Conhece apenas os números e nas contas, ninguém a engana! No verão, vive sozinha na casa dela, lá na terra e passa o inverno na casa dos filhos, na Amadora.
Não conhece as letras, mas conhece as crenças populares e está sempre a repeti-las. Nunca se cansa de nos avisar para não andar descalça quando temos o período porque podemos ficar estéreis.
Durante a minha gravidez, deu-me um rol de instruções: não usar fios porque o bebé podia nascer com uma circular, não entrar em cemitérios porque o bebé podia nascer com a alma de um defunto, não chegar perto de um morto (infelizmente, houve uma morte na família nessa altura) porque o bebé podia nascer com a cor do morto, não encostar carne à barriga (eu sei...é absurdo!) porque o bebé podia nascer com manchas no rosto, etc. Não liguei a nada disso mas que fiquei a pensar nelas, fiquei!
A minha avó parece ser uma avó igual a tantas outras mas ela tem coisas que a tornam única.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Aiiiiiiiiiiiiiii

que estou toda partida! Raio da ginástica deixou-me KO! Mas acho que vai valer a pena! Tenho 39 % de gordura no corpo e a desgraçada há-de desaparecer, não na totalidade, claro. Apenas um bocadinho assim!

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Carnaval

Estou aqui a ver as reportagens do telejornal sobre a folia do Carnaval. Que pobreza! Gajas a tremer de frio a sambar, ou a tentar sambar; homens, ditos machos na sua grande maioria, mascarados de mulheres (haverá no subconsciente dessa gente desejos recalcados?); o batuque brasileiro; frio...Mudo agora para a SIC e vejo imagens do sambódromo no Brasil e dá vontade de rir!
Enfim, ainda bem que ficamos em casa!

sábado, 2 de fevereiro de 2008

3 meses visto pela mãe

Nota: Informo os leitores que este post está assim pr'o lamechas.
Parece que foi ontem mas já nasceste há três meses. Há tanta coisa para dizer mas só me lembro de pequenos pormenores que apenas os meus olhos de mãe vêem e que me enchem de alegria.
Não há coisa melhor do que olharmos um para o outro quando estás a mamar. É algo que faz tremer tudo cá dentro, é um elo que nos une. Sei, nessa altura, que sou muito importante para ti e que tu também me amas daqui até à lua.
Gosto quando apareço por cima de ti e te ris quando me vês. É tão bom. Já me (re)conheces e fico grata por isso. E quando me ouves a falar, por vezes, viras a cara na minha direcção. Aí, ui, até salto de alegria!
Gosto quando franzes o olhar. Ficas parecido com o teu bisavô e pareces um homenzinho.
Gosto quando o teu pai te faz rir com as suas palhaçadas. Ele é único a provocar-te gargalhadas e adoro que assim seja.
E o teu cheiro, meus Deus, o teu cheiro é inebriante! Snifo-te a toda a hora.
E agora, estamos nas conquistas: ontem, reparei que estavas a olhar para a tua mão e para o teu braço. Tiveste consciência dele. Sei que amanhã, ou depois, ou ainda depois, vais conseguir fazer uma outra coisa e sei, de antemão, que vou ficar toda orgulhosa de ti.
Claro que há coisas menos boas: as tuas constipações (já tiveste duas), a chupeta que cai quando estás quase a dormir e faz com que acordes, a tua dificuldade em fazer cocó e que te provocam dores na barriga. Estas coisas são tão insignificantes que vamos passar a outro tópico...

Não sei se sentiste mas quando estavas na minha barriga, nos últimos meses, tive vários ataques de ansiedade. Tive medo de não saber ser mãe, até chorava ao pensar nisso. Hoje, contigo ao meu lado, vejo que sei ser mãe. Posso não ser a super mãe, nem pretendo ser alias, mas sou a mãe que cuida de ti, que te ama, que te protege, que está e estará sempre ao teu lado e que vai aprendendo com os seus próprios erros, tentando ser um pouco melhor.

3 meses... Ó filho da minha alma, do meu sangue, da minha carne...não cresças tão rápido. É que tenho medo de não aproveitar o tempo que passa contigo.

Passo a bola para o teu pai, até porque o post já está longo. Será que me leram até ao fim?


sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

2º filho

Queremos ter um segundo filho e queremos que os nossos filhos tenham uma pequena diferença de idades. Mas o Miguel é demasiado rápido. Ora, leiam o pequeno diálogo que tivemos no domingo passado (não está 100 % fiel mas aproxima-se bastante!).
ele: ah e tal, em Abril ou Maio [deste ano], ficas grávida.
eu: não! É muito cedo. Quando o Tiago tiver um ano, mais coisa menos coisa.
ele: mas vão ter 2 anos de diferença... [com aquele ar de eu quero mais cedo]
eu: mais cedo, não. Nem convém engravidar agora porque...euh...e assim, curtimos um pouco melhor o nosso Tiago
ele: sim... [como quem diz pois, pois]

E pronto, acho que ficamos por aqui, digamos que adiamos a conversa...e o segundo filho!