quinta-feira, 31 de julho de 2008

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Gatinhar

Filmado ontem e hoje ainda gatinha com mais rapidez e vai até ao sofá e levanta-se.
A minha sala é que está jeitosa, não é?

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Pergunta

Alguém sabe onde fica o botão "slow motion" dos bebés?
Obrigada

Ponto da situação

Regressou não com a pujança de outrora mas o suficiente para saciar a fome. O leitinho da mamã, claro!

O rapaz já gatinha

[Desde ontem à tarde]

segunda-feira, 21 de julho de 2008

O início do fim?

8 meses, 2 semanas e 4 dias foi o tempo que durou a amamentação. Acho que chegou ao fim. Estou triste porque chega ao fim por estupidez.
Fui retirar uns sinais e uns cravos. A dermatologista garantiu-me que a anestesia e o procedimento a lazer não iriam interferir em nada na amamentação. Confiei nela... A verdade é que nesse mesmo dia, à noite, o Tiago acordou à 1h00 para mamar. Colocava-o na mama e ele agarrava-a durante 5 segundos e desatava a chorar. Não se calou a noite toda. Às 7 da manhã, olhei com olhos de ver para as minhas mamas e reparei que estavam moles e fez-se luz "o puto tem fome". Dei-lhe um iogurte que ele devorou e dormiu até às 11h00 da manhã. Comprei leite em pó e no sábado, o Tiago bebeu o primeiro biberão de leite em pó (e não é que ele, que não toca no biberão que bebia o meu leite a colher, bebeu o leite no dito cujo como se o tivesse feito a vida inteira?). À tarde, dei-lhe mama e houve leite, apesar de pouco. Vou continuando a oferecer-lhe maminha. Pode ser que estimulado, ele volte com mais força.
Chegou portanto o fim a minha aventura na amamentação?
O importante é o Tiago não ter fome mas tenho de admitir que estou triste se não houver mais maminha para ninguém!

sábado, 19 de julho de 2008

Emocionei-me...

...ao ler este post, sobretudo os três últimos pargráfos.

É bom vê-lo crescer

Ele quer sempre estar em pé.
Quando deitado no chão, já consegue dar a volta e sentar-se.
Quando deitado na cama, já consegue dar a volta e pôr-se em pé, agarrado às grades.
Está sempre a mexer em tudo ( o pai até perguntava com ar preocupado, no outro dia, se o nosso filho não seria hiper-activo!)
Já fica na posição de gatinhar (faz o "on your mark, get set mas não go!)
Anda como um caranguejo, ou seja, para trás (e chora quando bate na parede ou quando se sente frustrado porque fica cada vez mais longe do objecto que quer)
Quando o pai chega à casa, levanta as mãos para ele a pedir colinho (irresistível)
Cospe (pois...)
Quando lhe mudamos a fralda, mexe na pilinha (ou melhor, puxa a pilinha que estica e não é pouco!)


On your mark...



...get set...




and go!
ó filho, é para frente!


quarta-feira, 16 de julho de 2008

Help! Queremos dormir!

O Tiago dorme no quarto dele desde os 4 meses. Decidimos mudá-lo para o habituar desde cedo ao seu espaço apesar dele ainda mamar duas ou três vezes durante a noite. Quando estava de licença de maternidade, a coisa levou-se relativamente bem. A partir do momento em que regressei ao trabalho, a coisa, isto é, os passeios nocturnos, tornaram-se complicados. Na mamada das 3h00 da manhã, vencida pelo sono e pelo cansaço, deixava o Tiago na nossa cama.
Aos poucos, ele foi-se habituando/viciando na nossa presença na cama e a partir de determinado momento, era um berreiro sempre que o deitávamos na cama dele. Ainda o deixamos a chorar por dois dias consecutivos durante 20 minutos (ai! o meu coração de mãe partiu-se nesses momentos) e não deu em nada porque o pai acabou por adormecê-lo ao colo, tanta era a sua agitação. Rapidamente chegámos à conclusão que era uma medida parva!
Neste momento, o Tiago só adormece na nossa cama, agarrado ao nosso cabelo e orelhas! (ele há com cada pancada!). Por vezes, conseguimos mudá-lo para a cama dele, outras nem por isso porque acorda e chora muito.
Quando o mudo para cama dele, acorda à 1 para mamar e daí em diante, não o conseguimos pôr no quarto dele. Fica a dormir connosco. E dorme-se mal a três! Ele mexe-se imenso, dá-nos pontapés, vira-se todo, quer constantemente mama (tanta que numa noite desesperada, saquei a mama de fora e fiz dela um bar aberto donde ele ia mamando ao longo da noite...mais mamiféro do que isso não há!).
Também experimentámos mudá-lo novamente para o nosso quarto e se nas duas primeiras noites, acordou apenas uma vez às 5h00, nas noites seguintes foi o acordar de duas em duas horas, o chorar, o querer consolo com a mamã e o papá.
Depois deste longo relato, preciso da vossa ajuda, da vossa opinião/sugestão.
Obrigada.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Há mais vida para além do trabalho

O próximo ano lectivo vai ser complicado, muito diferente deste que agora acaba. Vou ter 10 turmas, 30 horas lectivas mais 5 horas não lectivas. Vão ser apenas 300 testes por leva, sem falar dos materiais, das aulas e de muita outra coisa que vou ter de preparar. Ah! e no meio disto tudo, tenho a minha vida, claro! Há coisas que hão-de ficar para trás...
Confesso que estou já a sofrer por antecipação e a stressar...
Alguém, por acaso, tem poderes especiais que queira partilhar comigo? Agradeço!

domingo, 13 de julho de 2008

Lindo menino

Tratado como único menino lá de casa até ao nascimento do Tiago, o Nico teve dificuldades em encontrar o seu novo espaço com a chegada de um bebé. Tinha ciúmes e decidiu não ligar nada ao puto. Mas com o passar do tempo, rendeu-se e agora são dois amigos quase inseparáveis. Atura-o mesmo quando o Tiago resolve puxar-lhe o pêlo ou as barbas, dobrar-lhe as orelhas.
'tadinho do Nico...o que lhe havia de calhar agora na velhice...


lindo menino...

sexta-feira, 11 de julho de 2008

32 anos

Parabéns ao pai do Tiago! Há 32 anos que fazes muita gente feliz, meu amor.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Mais um passo

Na véspera de fazer 8 meses, o Tiago consegui mais um feito. Sentei-o na cama dele mas ele não queria estar sentado. Resolve então agarrar nas grades da cama e fazer força para se levantar. Chegou a levantar o rabinho mas não conseguiu pôr-se de pé. Fomos buscar a máquina e esperámos que ele tentasse novamente e, à segunda tentativa, conseguiu!
Gritámos vitória (eu até dei uns gritinhos histéricos...) e batemos palminhas ao nosso filho enquanto ele olhava para nós com ar feliz (ou será com ar de quem pensa"olha só quem me calhou...que figurinhas tão tristes!!!)




[Adenda: repararam no exagero de palavras que acabam em -inho? E na felicidade que irradia estas pequenas linhas só porque o puto fez uma coisa nova?
Meu Deus! Eu que nem era dessas paneleirices e que o dizia de boca cheia, ando assim, rendida, cheia de... paneleirices. A maternidade tem destas coisas!!!]

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Consequência de ter um filho com 6 dentes!

Tenho um puto que é um amor mas que está armado em vampiro!
Estava ele muito bem a mamar quando resolve dar-me uma trincadela no mamilo que me fez ver estrelas e soltar um grito. Até sangrou! Doeu muuuuito!
O Tiago assustou-se comigo e começou a chorar. Pousei-o na cama e disse-lhe, com cara de má, que não podia ser. Ele ficou a olhar para mim ...a rir! E quanto mais séria eu ficava, mais ele se ria! Enfim, acho que estou no bom caminho...
Voltou a outra mama e passado alguns minutos...toma lá que é para aprendrer: nova mordedela (não tão dorida como a outra mas mesmo assim... A cena repete-se "Tiago, NÃO e mais blábláblá". Ele, claro, a rir-se da figura da mãe!

quarta-feira, 2 de julho de 2008

8 meses (já!?)

Mãe há oito meses.
Todas (ou quase todas) as mães querem o melhor para os seus filhos. Sentem-se responsáveis pela sua cria e desejam agir da melhor forma. Eu, claro, não fujo à regra. Mas agir da melhor forma nem sempre é uma tarefa fácil...
Esta nova realidade requer uma aprendizagem que tem de ser ajustada a cada passo. É verdade, ser mãe é questionar-me constantemente sobre pequenas coisas. É reflectir sobre as decisões tomadas e ver se foram as melhores. É melhor deixá-lo chorar? É assim tão terrível deixá-lo dormir algumas vezes na nossa cama? Quantas vezes o pai e eu olhámos um para o outro como quem diz "e agora, o que vamos fazer? " Tornar-se-á um puto mimado se fizer isto ou aquilo?
É saber voltar atrás quando necessário, contrariando as ideias que já tínhamos pré-estabelecido. É perceber que nem tudo o que se diz é verdade e que por vezes, temos de seguir os nossos instintos, apesar de acharmos que o mundo inteiro pensa o contrário.
É tentar perceber o que o choro do Tiago significa. Está angustiado? Tem fome? Tem frio?

Claro que não posso acabar sem falar dos clichés: ser mãe é a melhor coisa do mundo! Derruba-nos por dentro, deixando-nos simultaneamente KO e com muita força. É qualquer coisa de avassalador, de transcendental.

Há 8 meses que sinto tudo isto e, por mais árduo que possa parecer, estou a adorar!