quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Só me faltava mais esta

Então não é que o Tiago quer mama!
Está sempre a pedir maminha e quando estou a tirá-la de fora para a dar ao mais novo, ei-lo que se aproxima e tenta abocanhá-la! Os meus sogros que assistiram à cena insistiram para que lhe desse. Mas não dei por várias razões:
- tenho medo que ele me morda;
- ele pode gostar e querer sempre;
- é propriedade exclusiva do Pedro.

Hoje de manhã

Os 3 em casa. O mais velho ficou porque estava a chover. Em dias de chuva, não há escola para ninguém! (Prevejo que em dia de muito sol também...)






E claro, colinho, choro de ambos, xixi na sanita (eh!eh!), maminha e, algumas vezes, desespero da mãe, a pensar "vou rifar um deles!" :)


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

post obrigatório

Já que este é uma espécie de baby blog, eis o post que todos têm: o post sobre o desfralde. Começámos no sábado e tivemos uma conversa tipo "és crescido e tal...vamos vestir cuecas." Meia-hora depois, tínhamos xixi nas ditas. À terceira vez, avisou-nos que queria xixi e não chegámos a tempo à sanita. À quarta, conseguimos. O seu primeiro xixi na sanita. E que festa! Palmas e beijinhos! (nós, pais, ficámos babados e felizes com pouco e ainda bem). A partir daí, foi a loucura para ele. De 10 em 10 minutos, disse-nos que queria fazer xixi...Queria a festa: todos a correr com ele para a casa de banho. Ele ria-se e dizia quando lá chegava: xixi não! No domingo, pediu para fazer o seu primeiro cocó na sanita. O orgulho que senti ao ver o meu filho a cagar numa sanita é indescritível (mas idiota, eu sei) e pensei rico filho, está tão crescido!

Coisas resolvidas

Depois de experimentar muitas chupetas, o Pedro ficou-se pela Physio da Chicco. Só consegui que ele ficasse com ela, seguindo um dos muitos conselhos dados: molhar a chupeta no meu leite. Resultou. Já estava a pensar comprar o Aero-Om mas não foi preciso.

O Tiago voltou hoje para a creche. Como devem calcular, foi terrível para ambos. E ainda não sei se fiz a opção mais correcta. Está lá das 10h00 às 12h00.

O problema com a factura do Garcia da Orta já está resolvido. Erro nosso que nos esquecemos, na altura, de entregar o cartão de utente do puto...

domingo, 21 de fevereiro de 2010

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Perguntaram-me e eu respondo!

Como é ser mãe de dois filhos?

É querer dar atenção máxima aos dois. É preocupar-me constantemente para não deixar nenhum para trás. É fazer comparações sobre os comportamentos deles. É desdobrar-me ao máximo por eles. É brincar com um e ter o outro no sling a sentir-me. É dar colo a um e um beijo ao outro. É esquecer-me de mim e do pai. É incitar o mais velho a fazer festinhas devagar no mais novo. É ter o meu mundo ali, neles. É cansativo. É pensar que não se é capaz e conseguir-se. É querer não falhar com nenhum dos dois e falhar porque não sou perfeita (benza a Deus!). É sentir que o amor se multiplica e que o cansaço triplica. É demorar uma hora a mais para sair de casa. É ter o mais velho ciumento, a querer colinho a toda a hora. É dizer a toda a hora ao mais velho que o amo. É ter medo que o mais velho pense que já não é importante para mim. É pensar que se calhar estou a dedicar-me em demasia ao mais velho. É não ter tanta paciência para o pai. É ter o filho mais velho a fazer tudo para ser o centro de atenções e vê-lo a ficar tonto. É querer, por vezes, mandar tudo à merda. É ouvir comentários que sugerem que fizemos mal em ter outro filho tão cedo. É ter a casa sempre com pó e desarrumada. É querer limpar a casa e não ter tempo nem coragem e muito menos vontade de o fazer. É ter jantares mal amanhados. É ter vontade de pedir desculpas ao mais velho por já não ser o único nas nossas vidas. É ter vontade de pedir desculpas ao mais novo por querer pedir desculpas ao mais velho. É ter medo que os irmãos sintam ciúmes um do outro ao longo da vida. É querer equilibrar as coisas, sem saber se não estamos a desequilibrá-las. É dormir pouco. É dizer mais vezes palavrões.
É uma entrega avassaladora, uma coisa que se sente cá dentro. É um orgulho. É coiso.

Resumindo e concluindo: é uma aventura na qual decidimos embarcar, sabendo, de antemão, que ia ser bom mas difícil. Acertámos em cheio: difícil mas bom.

(e podia continuar por aí adentro...)

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Chupeta e afins

O Pedro precisa de uma chupeta. Anda a fazer da minha mama uma chucha. Comprei a chupeta da Chicco para recém-nascidos (aquelas que é quase do tamanho da cara dele) mas esta provoca-lhe vómitos. Não consigo que ele esteja com ela 2 segundos.
O sacana quer sempre a minha mama para adormecer e se a mama tem leite e não lhe apetece comer, chora imenso. Também já aconteceu agarrar nela e beber o leite e vomitar-se todo de seguida. Leite a mais! Se a mama estiver vazia, ele fica na boa a dormitar e aí de mim que a tire antes que ele esteja mesmo ferrado...É berreiro pela certa.

Já estive a ver nos vários sites da especialidade e não encontro nenhuma chupeta pequena. Alguém conhece ou sugere umas dicas para que ele aceite a chupeta? Torna-se complicado estar sempre com a mama de fora...

lado negro

Até acho que sou uma gaja porreira com bom coração, mas quando leio ,em vários blogs, que mamãs, quase um mês depois de terem parido, já conseguem vestir as suas roupas, fico tão invejosa, mas tão invejosa...

Mas ainda bem que li o post da Mary para me relembrar das coisas tais como elas são...Mas a puta da inveja, confesso, continua cá!

...

Há momentos em que é tão difícil gerir duas crias que tenho vontade de... sei lá...de gritar, amuar e ficar sozinha no meu quarto.

(e por vezes também de mandar tudo à merda)

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

...

O Tiago disse-me que pôs o algodão na boca do mano para ajudar. 'tadinho! Como diria a minha avó (1, 2 e 3), o menino não tem mais entendimento, é tão pequeno.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Aderi

ao sling.
Prático e confortável para o Pedro que está assim sempre ao colo. No início, faz confusão não ter a mão a segurá-lo mas depois percebemos que podemos ter duas mãos livres...para tratar do mais velho!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Estou com uma dúvida que me está a fazer comichão...

Recorri às urgências pediátricas de um hospital público (HGO) em Outubro de 2008. Hoje recebo uma carta em nome do Tiago desse mesmo hospital a cobrar 148 euros pela dita consulta. Não é suposto ser a borla? Ou pelo menos pagar a taxa moderadora. Na altura, o puto estava com um uma gastroenterite e limitaram-se a dar-lhe água com açúcar...E ainda por cinma tivemos lá da meia-noite até às 4 da matina.
Alguém me sabe dizer se é mesmo assim ou há aí um erro?

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Post atabalhoado e longo

O pai voltou ao trabalho segunda-feira e estou em casa com os os meus dois pequenos. O Tiago já não vai à creche há não sei quantos dias. Raramente vai. Passou-me pela cabeça tirá-lo de lá e ficar em casa com os dois. Custa-me deixá-lo lá e vir para casa. Remorsos. Mais ainda porque ele diz que não quer ir à escola, que quer ficar com a mamã em casa. Ele não manda, eu sei. Sei também que não lhe posso fazer as vontades mas não acho que seja muito grave deixá-lo aqui comigo. Ou se calhar é. Já não sei muito bem. E depois em Setembro, quando ele voltar para lá, vai ser terrível. Se bem que se for amanhã, também vai ser terrível ver-me a ir embora com o mano.
É verdade que ficar com os dois é cansativo, mas faz-se. Há momentos, sobretudo o da mama, em que o Tiago fica parvo, isto é, quer atenção e cola-se a mim, salta para cima de mim/nós e obriga-me a gritar com ele e sinto o Pedro a estremecer. Também é verdade que fora este pequenos momentos, o Tiago fica mais calmo e quer "incar" comigo. Não me dá um minuto de sossego. Nem consigo dar o colo que tanto gosto de dar (e se sou adepta do colo dos bebés) ao Pedro. Se dou, a parvoíce vem ao de cima, lá está. Para poder dar mais mimos ao mais novos, recorro ao DVD de Tarzan, mas mesmo assim, tenho de estar sentado com ele a comentar o filme. Não gosto de transformá-lo estátua em frente à TV - eu que me gabava há pouco tempo de só ligar a TV às 20h00 .
Há momentos em que lhe digo "amanhã, vais ter com a Cláudia e com a Beta e vais à escola" e penso mesmo que vai, que tem de ter as rotinas, as regras da creche. Há momentos em que penso que tem de ter os mimos da mamã. Ainda não sei o que fazer.
Há pouco assustei-me. O Pedro vomitou muito e saiu da boca dele algodão. Algodão!!! Foi o Tiago que lhe meteu algodão na boca: Só pode ser, se eu não fui... estou desejosa que o Tiago acorde para lhe perguntar. Não é normal. Sei que foi sem querer porque me vê limpar-lhe os olhos com soro fisiológico e ele quer ajudar. Claro que aí pensei: o puto tem de ir à creche que não dou conta do recado.
Estou à nora...

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Últimas fotos grávida

Na véspera do Pedro nascer, no zoo. E foi 5 estrelas!
O Tiago adorou os tigres e quando viu os gorilas, perguntou logo pelo Tarzan. Um quarto de hora depois, ainda perguntava por ele!


Será que não vou tirar mais nenhuma foto grávida?
On verra bien...

18 dias

Aos 18 dias, o Pedro estreou-se nas urgências do hospital. Está com uma conjuntivite.
Há coisas que têm de ser registadas: a sua primeira -ite!

(Desta vez, as urgências do HGO funcionaram bem. Em 40 minutos, estava tudo visto e tratado)

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Shame on me ou como o homem do saco ainda está vivo!

Não tenho quase recordação nenhuma das tardes que passava, enquanto criança, na minha avó com a minha madrinha. Há, no entanto, um episódio que me marcou durante algum tempo e que não esqueço: o velho do saco.
Lembro-me de estar no quarto de uma delas e de ambas estarem desesperadas para que eu adormecesse. Lembraram-se então de invocar o dito senhor, alegando que ele me levaria no dito saco, caso eu não dormisse de imediato. Não sei se adormeci ou não, mas sei que o medo do velho do saco ficou. Acho que esse receio me acompanhou porque um dos vizinhos da minha avó era um velhinho que andava sempre com um saco de pano preto às costas (era, sei-o agora, para apanhar erva para os coelhos). Pensava, sempre que o via, que ele me vinha buscar...

Nunca me passou pela cabeça inventar uma figura desse género para assustar o meu filho... até que a minha paciência se esgotou!
Depois do banho, o puto fica eléctrico e pula em cima da cama e foge-me e eu quero pôr a fralda e ele não deixa e quero vesti-lo e ele nada e eu estava com uma barrigona daquelas, cansada e já fartinha daquela cena toda e passaram-se minutos que me pareceram horas e disse-lhe "olha que vem aí o polícia e leva-te".
Foi tiro e queda! Deitou-se na cama e deixou-se fazer enquanto eu apimentava a coisa "se não te vestes, o polícia leva-te e ficas longe da mamã". 5 minutos e a coisa estava arrumada.
Já chegámos ao cúmulo de tocar à porta e dizer-lhe que era a polícia. Resultado: roupas e fralda postas em menos de 5 minutos.
Não recorro à figura do senhor guarda diariamente mas de tempos a tempos, dá-me jeito!
Que vergonha assustar assim o meu filho mas há momentos em que nenhuma pedagogia politicamente correcta resulta ou me ocorre !

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Discos de hidrogel

Eis a resposta: comprei os discos na farmácia. Para saber mais, vejam isto.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Mal habituada

é ter um recém-nascido que nunca chora e, de repente, ouvi-lo chorar durante uns tempo,s virar-me para o pai e comentar com ele "o Pedro não está bem...não se cala".
O pai olha para mim e com aquele ar sarcástico responde "oh sim, chorou muito...um minuto...coitadinho!"
Caí em mim e pensei que deve ter chorado 30 segundos, se tanto...

Do pós-parto

Correu/está a correr lindamente. Deve-se, com certeza, ao parto rápido em que não gastei muitas energias e ao facto de ter levado só 3 pontinhos.
No dia do nascimento do Pedro, já no 5 andar do HGO, a enfermeira informou-me que iria fazer o levante comigo dentro de duas horas. Tinha de descansar. 30 minutos depois, quis lavar as mãos e lá me levantei sozinha na boa e fui à casa de banho. Quando a enfermeira voltou disse-lhe que já me tinha levantado mas fui novamente com ela só para que ela se certificasse que eu não estava tonta. Olhou para mim e repetiu duas vezes "está mesmo muito fresca!".
Nesse mesmo dia, já me sentava na boa, como se nada fosse. Com o Tiago também aconteceu a mesma coisa mas pensei que isso sucedia graças aos antibióticos e anti-inflamatórios que tive de tomar durante três semanas.
Mais uma vez, o amamentar está a correr bem. O Pedro conseguiu uma boa pega logo desde o início. Até a mama ganhar calo, os primeiros (e longos) segundos em que ele a agarra, custam e muito. Comprei o creme para as gretas e nunca o usei. Optei pelos discos calmantes de hidrogel e recomendo a todas. É uma sensação de alívio sensacional (e não, não estou a exagerar). Quando ele chora (o que é muito raro) ou quando o vejo a rodar a cabeça, dou-lhe mama. Nem olho para o relógio para ver há quanto tempo mamou.
Chato mesmo é não saber quanto peso. A minha balança foi à vida. Sei que às 39 semanas, tinha engordado 17,5 kg. Agora não sei mais nada e isso chateia-me. Ao contrário do que fiz na última vez, desta estou contida naquilo que como. Não é dieta (não faço dieta quando amamento), é conter-me...
O pai já vai trabalhar na quinta e vamos sentir falta da ajuda dele. Os outros 10 dias serão gozados mais tarde quando houver mais calor e podermos ir para o Algarve.