quarta-feira, 29 de abril de 2009

Depois do Amor,

o pensamento que vem logo à cabeça: será que foi desta?

Com o Tiago, não me lembro de ter pensado assim...

domingo, 26 de abril de 2009

Já é altura de o revelar...

Há uns meses atrás aconteceu-nos uma coisa insólita, tão insólita que até custou contar... Agora, rio-me ao relembrar o episódio. Cada vez mais acho que sou uma mãe desnaturado-distraída...

Cenário de sempre: Tiago dorme na cama dele, acorda às tantas da madrugada e vamos buscá-lo para a nossa cama. Ou melhor, o pai levanta-se porque eu durmo e não o oiço. Coloca-o no meio de nós e ...
Sinto o Tiago ao meu lado, parte dele em cima da minha cabeça e penso "o puto está na cama mas não está no nosso meio, está só ao meu lado...ainda cai da cama." A dormir, ou pelo menos naquele estado em que estamos semi-conscientes, penso que tenho de o pôr no nosso meio. Em segundos, agarro nele e passo-o para o outro lado da cama. Resultado: atiro-o para o chão. Literalmente. E para ser franca, não sei se me apercebi do que tinha feito se não fosse o Miguel a alertar-me, aos gritos. Na altura, nem dei grande importância à coisa, pois queria dormir...
No dia seguinte é que caí em mim e que vi que o meu Tiago tinha a mão e a orelha negras.

É o que dá ser uma gaja que está sempre com sono!

dois segundos de fama

A modos que o bebé que apareceu na reportagem da sic, no dia 25 de Abril, é lindo!!!

sexta-feira, 24 de abril de 2009

A última cá de casa

Tomar banho a três! Que fixe!


(sempre fui contra por causa do desperdício de água mas agora rendo-me...é muuuuuito bom)

(com) Visão

A Visão desta semana é simplesmente genial. A caneta azul do antigo regime entrou em acção e "cortou" o que seria censurável se não tivéssemos tido o 25 de Abril. Temos realmente a noção do que é viver num estado sem liberdade de expressão.
Excelente ideia.
A não perder!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Tiagus dixit!

O meu filho é um fiteiro.
Disse no domingo de manhã "mamã" pela primeira vez quando estava ao colo do pai enquanto este ralhava com ele. Olhou para mim com os seus olhos lindos e cheios de lágrimas, levantando as mãos na minha direcção e disse mamã. Conseguiu o que queria, ou seja, sair do pai e ter um miminho da mãe.
Ontem à noite, estava na cama e o pai levantou-se, como sempre, para lhe fazer o biberão de leite. O pai demorou mais uns minutos que o habitual e eis que o rapaz resolve chamar "papa".

Sabe chamar por nós para o que lhe interessa! Tão esperto, o sacanola!


[o meu pai está a recuperar bem e já está em casa. ]

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Quase um record

Um mês e meio depois, o Tiago voltou a vomitar. E foi lindo!
Acordou às 0h40 e quis leite. À uma da manhã, vomitou. Lavou-se, mudou-se a roupa, etc e o rapaz ficou connosco na nossa cama. Às 2h00, sinto-o a pôr-se de cócoras, a virar-se para mim e a vomitar em cima de cara (eu estava de barriga para baixo, com o rosto virado para ele). Senti o líquido viscoso e mal cheiroso no ouvido...peurk! Lá tive de tomar banho enquanto que o pai o limpava.

Mas nem tudo é mau.
Adormecemos que nem uns anjos numa cama acabadinha de fazer, a cheirar tão bem ao amaciador Confort... Até dormi melhor!

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Para mais tarde recordar...

Já diz
- tau tau
- nã
- quê
- avô
- avó
- miau (para se referir ao gato)
- pó pó (que serve para carros e motas)
-não há
- aqui
- já tá
- olá
- 'anda (para se referir ao panda...)

(mamã e papá é que nem pensar...)

terça-feira, 14 de abril de 2009

Ajuda

Preciso de duas ajudas.
1- O Tiago herdou a nossa tendência para ter cravos nas mãos. Já tem um no polegar que está a crescer. Há um tempo atrás, fui queimar os meus. É um processo um pouco doloroso e ao qual não vou sujeitar o meu filhote. Conhecem alguma mezinha para tratar de cravos em bebés (e/ou adultos)?

2- O Tiago tem agora o hábito (irritante) de bater-nos. Está sempre a fazê-lo e depois ri-se. Já não sei o que fazer / dizer para que pare. Dar-lhe nas mãos não resulta porque repetimos o gesto que não queremos que ele faça. É como se eu dissesse aos gritos "Tiago, não grites". Não acho que seja muito lógico. A minha pergunta é: é só uma fase? O que posso fazer para o fazer perceber que tau-tau não...

Obrigada.


segunda-feira, 13 de abril de 2009

:-(

15 dias em casa foram bons e pensaste que era para sempre, que podias ficar com a mãe e com o pai. Mas não. Hoje voltaste para a escola e foi uma gritaria. Quando virei as costas, até te engasgaste de tanto gritar/chorar. Eu chorei silenciosamente a pensar que o que eu realmente queria era ser dona de casa. Ficar em casa e tratar de ti.

Uma das reportagens da Única, neste fim-de-semana, abordava dois casos. Um pai e uma mãe que deixaram os seus empregos para se dedicarem exclusivamente aos filhos. Falaram da experiência, do preconceito da sociedade que os rotula como "dona-de-casa" , que os vê como alguém dependente do marido/mulher, do permanente trabalho em casa que não tem fim, etc. Falaram também da proximidade que os une aos filhos e sobretudo da possibilidade de assistirem às suas constantes evoluções.
Fiquei com uma certa inveja. Nunca tinha pensado nisso mas agora, acho, cada vez mais, que o nosso lugar é perto dos nossos filhos, pelo menos nos 3 primeiros anos de vida deles.
Tivesse eu capacidade financeira e estaria em casa a cuidar do meu rebanho...

domingo, 12 de abril de 2009

Ainda sobre o meu pai e a "Páscoa" en famille

Afinal não vai pôr um pacemaker. Vão colocar-lhe um CDI, ou seja, um desfibrilador interno que lhe dará choques se detectar alguma anomalia no coração, ou seja, um aparelho capaz de identificar e reagir a uma paragem cardíaca. A enfermeira disse-me que era esse pequeno aparelho que poderá ressuscitar o coração do meu pai, uma vez que corre risco de sofrer uma morte súbita.
As implicações, no seu dia-a-dia, vão ser muitas.
Não vai poder conduzir no primeiro ano e depois logo se vê...

A nossa Páscoa foi vivida, hoje, em família, no Hospital onde conseguimos subir todos ao 4º andar (inclusivamente o neto). Não me lembro da última vez que passei o dia de Páscoa com os meus pais, muito menos com os meus tios, avó e prima...

sábado, 11 de abril de 2009

o meu pai...

...está bem. Continua internado.
Na segunda-feira, vai pôr um pacemaker.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

As 2 novidades dele desta semana

- Choramingar enquanto tenta puxar as calças para baixo significa "mamã, anda mudar a fralda que tenho cocó";

- Comer sozinho... Agora, é preciso ter muita paciência para lhe dar de comer;

A 1ª volta do Tiago




Ele adorou a experiência.
(o meu rabo nem por isso...)

domingo, 5 de abril de 2009

Mais uma actualização

O meu pai sai hoje dos Cuidados Intensivos. Vai para a enfermaria geral da cardiologia. É bom sinal.

sábado, 4 de abril de 2009

Novas actualizações

O meu pai não precisa de ser operado. Que alívio. Ainda está nos Cuidados Intensivos sob observação porque as 48 horas após o sucedido são importantes e pode haver o risco de recaída.


Obrigada pelas palavras.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Actualizações

O meu pai teve uma taquicardia e esteve à beira de um ataque cardíaco. Devemos agradecer ao Inem que demorou 8 minutos a chegar e que tomou todas as medidas necessárias ainda em casa. Tiveram de lhe induzir numa espécie de coma (mas que não é coma) para que o coração se acalmasse. No hospital, reanimaram-no novamente.
Como sentiu uma dor intensa no peito e o braço esquerdo dormente, está neste momento a fazer um exame chamado cateterismo cardíaco. Querem ver como ficou o coração e como estão as veias que o irrigam. Disseram-me que se detectar qualquer anomalia simples, resolvem na hora. Se for mais complicado, terá de se submeter a uma intervenção cirurgica.
E o medo mantém-se e gela o meu coração.

Medo

O meu pai foi internato. Estado dele é grave. Sei muito pouco.

Obrigada Ricardo, Sandra e Mira por estarem presentes e desdobrarem-se para conseguir informações. Obrigada Sílvia pela notícia que teimavam em não contar.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Post um pouco à margem de um baby-blog e cujo título poderia ser "coisas de gaja que tem muito para fazer e que não tem vontade de as fazer"

Vamos à esteticista e quase mas mesmo quase todos os pêlos vão à vida.
Chega-se à casa e, por exemplo, precisamos de ir à casa de banho.
Baixamos as calças e as cuecas e AARGH!!
Um pêlo, um único pêlo, que ficou com cera e colado às cuecas é arrancado, à bruta!
E são dores ou choques que fazem vir lágrimas aos olhos.

Aconteceu-me há minutos atrás e quis partilhar convosco.

Já tenho de fazer contas

para me lembrar dos meses que tem o meu filho!
Mãe desnaturada? Talvez! Mas sobretudo, mãe distraída e sem grande jeito para os números! É que já são tantos! A partir do próximo mês, deixo-me de coisas e digo que tenho um filho de ano e meio!

Então, depois de ter pensado, quero que fique registado que hoje, dia 2, fazes 17 meses.
Podia também ficar registado outras coisas mas era repetir-me.
Implementámos um "castigo". Se faz uma asneira grave, como agarrar num prato que estava em cima da mesa, olhar para nós, desafiando-nos e atirá-lo para o chão, apesar de dizermos para não o fazer, vai para lá
O castigo é sentá-lo no sofá pequeno da sala (onde nós nunca nos sentamos). Fica lá dois minutos. Durante esse tempo, faz um beicinho (lindo) mas não tenta sair do sítio. Olha para nós como quem diz "tira-me daqui". Quando tem ordem de soltura, repetimos tudo o que lhe dissemos antes (o blá blá blá chato dos pais) mas ele só quer abraçar-nos.
Até agora só recorremos ao castigo 3 vezes e acho que ele entende o funcionamento da coisa.