quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Dos anos dele (ainda)

Foi um dia que o deixou bastante emocionado por três ocasiões.

1) O mano, o pai cá de casa e eu acordámos o aniversariante a cantar-lhe os parabéns. (Apesar das vozes desafinadas de todas àquela hora!). O abraço dado foi dos céus!

2) Na escola, quando abriu a lancheira, e viu os nossos bilhetes. Preferiu o do pai mas adorou os dois. "Fiquei de lágrimas nos olhos".

3) Quando lhe li o texto que escrevi sobre ele, no blog. (Omiti apenas a cena de não saber jogar à bola!). No fim, disse-me "obrigado", abraçou-me com força e com a fazer força para mão deixar cair as lágrimas.