sábado, 9 de julho de 2016

Hoje, é novamente um dia muito triste

Primeiro foi a Joana, a minha Joana, que não sendo minha, passou a ser depois de morta, vítima de um cancro.
Hoje, dia 8, foi a minha Elsa, a minha ruiva, a minha red, que não sendo minha, passa a ser minha depois da sua morte, também ela vítima de um cancro.
Também ela deixa um filho, sozinho e assustado. E a minha cabeça só pensa nessa criança.
E minha Elsa era uma força da natureza, uma mulher com pêlo na venta, uma mulher que dizia caralhadas, como eu. Era uma mulher que sempre foi em busca da sua felicidade. Teve dificuldade em encontrá-la. Caiu mil vezes mas levantou-se outras mil. Procurou, procurou e quando a encontrou, quando serenou, a vida pregou-lhe uma partida. Foi-se. Morreu.
Não há como embelezar a morte. Acabou-se. 
Hoje fui beber  com o pai cá de casa. Quis embriagar -me. O primeiro brinde foi feito por ele para ela.  O último foi feito no Botequim, na Graça, onde fui com ela pela primeira vez há uns anos e  onde me disse, numa fase da minha vida muito conturbada e louca, qualquer coisa como "Hoje decides tu. Tens de decidir e impor -te". 
A minha Elsa foi embora. A nossa Elsa foi-se. A ruiva do meu coração partiu e dói muito.
Hoje o meu coração está triste. O nosso coração está triste.
Também está revoltado. A sério, ó vida, fizeste isso já a duas amigas minhas e tens mais uma em lista de espera com cancro da mamã? A sério? A vida é assim injusta.
Caralho pá, caralho.

2 comentários:

Isa disse...

Nem vale a pena falar da injustiça que é esta vida!! Mas essa doença que teima em ceifar tantas vidas, essa e outras, abrem-nos os olhos para que tentemos mesmo aproveitar a vida e gozar os nossos dias como se fossem os últimos! Agora é hora de luto. Chora tudo o que tiveres para chorar, revolta-te se precisares e depois levanta a cabeça e enfrenta a vida de frente! Esta vida é mesmo muito injusta, mas nem vale a pena falar disso!!!
Então quando se deixam filhos... Os meus sentimentos a toda a família!

Raquel Ribeiro disse...

Que triste! Mesmo! Até eu penso nessa criança! Que injustiça! Uma merda de doença!