quarta-feira, 1 de março de 2017

Quando queres muito que os outros vejam o que estás a ver, quando não percebes as opções dos outros, quando pensas o pior de vários acontecimentos, quando achas que és a única a ver a cena, quando achas que só tu é que tens razão (pois, eu sei, parece coiso), quando tudo isso não te sai da cabeça, começas a pensar que afinal és apenas a rainha do drama e que menos Tella menos. Tentas então racionalizar as coisas, pôr de lado as impressões, sensações, crenças e feelings. Queres então acreditar que és too much e agarras-te a isso, como se fosse uma verdade absoluta. "Menos Tella, menos" está sempre a ecoar cá dentro, como quem diz "deves pensar que sabes tudo".
Andas assim a tapar o sol com a peneira, como quem diz enganada, ofuscada, a assobiar para o lado. Mas na verdade, lá bem no fundinho, sabes que o aperto no peito e a constante preocupação são os sinais que te continuam a fazer crer que algo não está bem, que há algo de podre no reino da Dinamarca.
E tu só queres desligar e não consegues. Que seca por vezes esta minha cabeça! 

Sem comentários: