segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Há mais do que a mãe em mim

Querem sempre saber histórias sobre nós na idade dele, mas nunca me perguntaram assim nada objetivo até que na semana passada, o Tiago quis saber o que queria ser quando era pequena, quais os meus sonhos na idade dele.

Pois bem, sonhos sonhos, não sei se tinha ou pelo menos não me lembro.
Queria ser Médica Sem Fronteira para ajudar os meninos na Etiópia, que apareciam esfomeados na nossa televisão. Depois, deixei-me de altruísmos e quis ser como o Indiana Jones, uma arqueóloga a viver mil aventuras e encontrar tesouros perdidos. Durante muito tempo acalentei este sonho...Ah, o Harrison Ford, quando eu era uma criança, tinha esse fascínio em mim! Mais tarde, enfim, se calhar mais crescida e menos sonhadora, quis ser professora de história, disciplina que sempre adorei (e adoro). 

Eles nem queriam acreditar que havia uma aventureira em mim, uma exploradora, uma heroína corajosa pronta a ajudar os outros num pais distantes. Aos olhos dos meus filhos, devo ser muita coisa, a mãe afetos que ama, brinca e provoca emoções boas, a mãe preocupada, a mãe que se passa [aka a mãe louca que berra muito] e claro, a mãe chata que repete as mesmas coisas "cuidado meninos", "vão lavar os dentes" ou "rápido,  rápido!". Entretanto, revelo-lhes coisas desse género, e eles percebem que houve (há?) uma criança intrépida como eles em mim e os olhos deles brilhavam a ouvir-me. Devem ter pensado "uau, a mãe foi mais do que a nossa mãe!"
Fiquei a pensar na nossa conversa. É bom desmistificar quem eles pensam que somos ou fomos. Desconstruir-nos e/ou voltarem a construir a imagem dos pais assente numa realidade e não numa perceção é importante. Torna-nos mais normais e também mais próximos.

3 comentários:

Isa disse...

E com esta deixaste-me a pensar... não faço ideia do que os meus filhos pensam ou acham de mim. Pronto, pelo menos sei que me amam muito! Já não é mau! :P

carolina disse...

Até eu digo 'uau'! Não me espanta a professora de história, nem muito indiana jones (pelas corridas e pelos trails...), mas, médica sem fronteiras, deixou-me boquiaberta! Sempre a ser surpreendidos! :)

Raquel Ribeiro disse...

Eles gostam imenso de saber coisas sobre nõs....