quinta-feira, 13 de julho de 2017

As mães, os ginásios e a culpa (sempre presente na vida de uma mãe)

Em março, depois da meia-maratona, o meu pé obrigou-me a uma pausa longa. Comecei a descompensar, a comer muito e sobretudo a pensar que ia ficar sem vontade de correr ou de fazer desporto. Uma verdadeira neurótica. 
No dia 17 de abril, pesei-me, tirei uma foto em soutien em frente ao espelho da casa de banho e fui inscrever-me no ginásio. 
No início, senti-me intimidada pelas pessoas que, aparentemente, se conheciam bem; pelos músculos XXL, pelos corpos fit's das miúdas mais novas e sobretudo pelos valores dos pesos que levantava versus os pesos levantados pelos outros. Mas a vontade de reforçar a massa muscular para prevenir futuras lesões na corrida falou mais alto que a vergonha e não me deixei afetar por essa neura. 
Fui todos os dias ao ginásio menos no dia da criança e ontem (uma espécie de ressaca dos anos do pai cá de casa). Acreditem que não foi fácil. Inicialmente, sentia-me egoísta por estar a usufruir de uma hora por dia só para mim, deixando os meus filhos em casa. Estava no ginásio a pensar que tinha de despachar tudo super rápido para ir ter com eles, coitadinhos, abandonados sem o meu carinho, sem a minha presença. Estava no gym quase sempre em sofrimento. Que neura! Sabia também que se não fosse, ia ficar lixada comigo, com eles e que o pai cá de casa ia apanhar por tabela. Outra neura, está visto. 
Aos poucos, ou talvez depois da Carolina ter dito que era um falso peso na consciência, que era a sociedade a martelar que uma mãe não podia ter tempo para ela, fui deixando essa ideia de lado e passei a ir sem culpa, sem complexos e com maior prazer. Efetivamente não sou nem pior nem melhor por ir ao ginásio e usufruir de uma hora só para mim. Não é essa hora que me determina enquanto mãe. Sei - e isso é extremamente importante -  que sou mais fácil de aturar quando vou e tenho mais paciência também para os aturar quando regresso. Deixa de haver tantas neuras portanto. Maravilha. 

Saber lidar com a culpa é coisa que me faz ver que estou a crescer...

[Nota: se eu fosse uma blogger da moda, punha a foto do antes (17/4) e depois (hoje) para sacar montes de propaganda desportiva da Prozis, myprotein, Nike e afins por causa do transformação do meu corpo.De facto, é incrível como é que ele se modificou tanto. Como sou a Tella, não ponho foto nenhuma, que os azulejos da minha casa de banho são horríveis e não quero que vejam!]

3 comentários:

Raquel Ribeiro disse...

Boa! a mim falta-me essa vontade de ir ao ginásio, sou mesmo preguiçosa e estou a ficar super flácida! faço 40 em agosto e a minha decisão é que assim que comece o novo ano letivo hei-de arranjar um buraquinho pra ir ao ginásio! dê por onde der.... olha que eu este últimos 3 anos ia à hidroginástica 2x por semana às 8h da matina só pra não roubar tempo aos finais de tarde, mas já percebi que não me chega, lá terei que ir prós pesos! e pra treinar em casa não tenho qualquer força de vontade!!!



Em relação ao blog, sinto é mesmo altura de terminar. Ele sempre foi sobre o G. Não sobre mim! Ele está a ficar muito crescido! não sei se retornarei com outro blog, mais meu!
Acabo por manter contacto com todas as mães que ganhei como "amigas" através do blog no facebook, tu também lá estás. Para já acho que me chega!!!
agora é tempo de férias, vou descansar a cabeça e depois decido definitivamente!

beijokinhas
Raquel

Cibele Chaves disse...

Tu não regulas, melher. :P

Marlene, Simão e Martim disse...

Eu também tiro a minha hora por dia para ir ao Gym. Faz-me bem, faz-me mais feliz e não me faz menos mãe. Se eu não estiver mental e fisicamente bem os meus filhos também não.
Beijinhos.
E ainda bem que és a Tella e não aquelas bloggers que só vivem de patrocínios.